sábado, 27 de novembro de 2010

Diversos

Excelente!  A manutenção de Marco Aurélio Garcia no Governo garante a política internacional  atingida pelo Brasil.  Dilma, até agora, está de parabéns.

Estava em dúvida se transferia meu título eleitoral de São José do Rio Preto onde nasci, militei e vivi até alguns anos atrás para a atual Guapiaçu, onde de fato moro.  Além de outros componentes como o excelente grupo político com quem estou me relacionando, do fato de meus filhos estudarem lá e de minha vida estar bem concretizada naquele território municipal, a dúvida dos edis riopretenses na indicação e escolha do novo presidente do Legislativo não me deixa outra alternativa.  Militar na política riopretense, pelo menos por algum tempo vai ser insuportável.  Aliás, já tem sido e não é de hoje.

Não entendi a estratégia dos chefes do tráfico no Rio.  O que eles teriam a ganhar nesta ação horrível que coloca toda a população contra, os governos estadual e federal em uníssono e assusta os turistas que sustentam o Rio de Janeiro?  Houve tempos que algumas ações pareciam mais inteligentes.  Não vi em que poderiam lucrar com isso, nem em termos de poder ou de resultados práticos.  A bem da verdade, análises sobre estratégias militares, econômicas ou quaisquer outras, se devem mesmo é a profissionais, não a leigos como eu.

Salamaleco

Estou sabendo da homenagem da Câmara Municipal de Rio Preto a integrantes da comunidade árabe local.  Dentre os homenageados está meu grande amigo Tarek Sarout. 
Tarek é o que se pode chamar de "gentleman".  Muitos o conhecem como o ex-proprietário da Kiberama ou o sempre proprietário do Café Conte.  Rotariano, Maçom é sem dúvida um grande cidadão.  Muçulmano, já participou comigo de uma mesa redonda na OAB por ocasião da derrubada das Torres Gêmeas.  Esteve lá para mostrar como é pacificador o Alcorão ao contrário da propaganda anti-terrorista americana de então.
Os árabes e seus filhos riopretenses marcaram muito minha vida.  Tenho o privilégio de ser primo e amigo do biólogo Arif Cais.  Seu sobrinho, Toninho Cais é o grande pediatra de meus três filhos.  Anuar Nagib Naife Mamede é o irmão que todo mundo gostaria de ter.  Seu pai, um homem iluminado.
Sr. Hassan, representante da autoridade palestina local, me ensinou muito nos poucos encontros que tivemos.
Dia 24 último, outro "brimo" faria, se estivesse vivo, aniversário.  Omar Amyuni foi, durante um bom tempo, um de meus melhores amigos.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Filhos da Viúva

Durante séculos, a Maçonaria exerceu um importante papel nos meios em que esteve inserida. Pelo menos propaga isso e muitos são os que defendem esta afirmação. Santa ou pecadora, bendita ou maldita, sempre foi um desafio, para muitos "profanos", decifrá-la.
Homenagem recebida
por mim pelas
mãos de uma Filha de Jó
Eu sempre gostei de esoterismo, cabala e todo o tipo de coisas do gênero.  Por isso, no início da juventude acabei sendo iniciado na Ordem DeMolay,  um tipo de juventude maçônica.  Foi maravilhoso participar, tanto que acabei por ser iniciado na Ordem Rosacruz.  Depois, fiz estudos em casa pela Ordem do Templo.  Aos 21 anos, fui convidado pelos senhores Odair Tortorello e Waldemar Alves dos Santos para a Maçonaria. Iniciei-me na Loja Doze de Novembro.  Ali fiquei de 1989 até a fundação de minha Loja, ou seja, daquela onde realmente me senti importante.  Sou um dos fundadores da Aprendizes do Terceiro Milênio, o que me garante bastante orgulho até hoje.
Fui tão envolvido, que ao longo de minha permanência no meio edifiquei uma boa estrutura de amigos, filosofia de vida e comportamento.  Até apresentei alguns novos "bodes" como Alexandre Schiavinatto, Miranda Júnior, Demis Aleixo, José Carlos Gouvêa e Rogério Melo.
Nunca fui quietinho.  Sempre gostei de polêmicas e de debater os assuntos à exaustão.  Talvez isso tenha acarretado alguns desafetos, mas são tão poucos, que não os reconheço.
Cobro da Maçonaria uma participação ativa na história atual.  Cobro sua análise sobre a dominação de classe na sociedade, sobre a falta de liberdade intelectual (pobres não têm acesso ao saber que os Maçons tanto defendem) e certos preconceitos ainda presentes em seu seio.  A ética na imprensa e outras defesas que ela poderia fazer.  Afastei-me dos quadros em 2003, tornando-me um membro inativo ou, na linguagem própria, adormecido.  
Alexandre Schiavinatto

Mas, me dou bem com boa parte dos maçons que conheço e não são poucos. Tenho saudades e espero um dia ainda retornar às suas fileiras.  Já pensei em formar uma Associação com os Maçons Adormecidos (afastados ou licenciados).
Quis publicar este post, pois fiquei muito feliz com uma notícia.  O próximo venerável de minha Loja, pode vir a ser um de meus afilhados.  Quando tiver certeza o cumprimentarei de público.  Um outro, meu amigo-irmão Alexandre Schiavinatto já o foi e com êxito.  Conheço seu valor, sua dedicação e sua capacidade de agir com justiça, honestidade e honra.  Alexandre é uma das poucas pessoas em quem se pode confiar com os olhos totalmente fechados.  Grande neto, filho, amigo é um verdadeiro obreiro das oficinas maçônicas.  Não estive na sua posse.  Tenho levado uma vida muito difícil e que me tira estas oportunidades.  Mas carrego um grande respeito e admiração por sua ação.  Parabéns aos dois e que o Grande Arquiteto do Universo os abençoe, ilumine e guarde para todo o sempre.



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Fatos e Gestos

Na última terça-feira, dia 23, se eu estivesse em casa, receberia a visita de um grande amigo, a quem admiro, respeito e por quem tenho grande carinho.  Ele veio trazer-me uns textos que lhe pedi e que devia ter ido buscar em sua casa, mas que ele garantiu-me, colocaria nos correios.
Este seu gesto de carinho, como aliás tantos outros que já demonstrou para comigo, só não foi completo, porque eu não estava em casa.  Ao saber disso, na porta do condomínio onde moro, deu a volta na portaria, deixando lá sua encomenda, refazendo o caminho de volta, que inclui um terrível e perigoso trevo na rodovia Assis Chateaubriand entre Rio Preto e Guapiaçu.
Foi aí que seu gesto gerou um outro fato.  Um acidente, de grandes proporções materiais, mas graças a Deus, de menores proporções físicas ou pessoais.
Levado pelo socorro ao posto de atendimento de Guapiaçu e depois transferido para o Hospital de Base de Rio Preto, foi acompanhado no início por minha mulher e meu pai, que ao saberem foram encontrá-lo e em seguida pela sua zelosa mulher, dona Darci, que sempre lida com muita serenidade e equilíbrio em todas as situações. 
Vamos agora aos detalhes.
Meu visitante é o amigo Nelson de Carvalho Seixas.  Médico, ex-vereador e ex-deputado federal por Rio Preto, ex-fundador da APAE, enfim, alguém que dispensa apresentações.
A encomenda que levava em minha casa, alguns documentos que pedi, matérias de jornais inclusive, que continham informações sobre o Prêmio de Estímulo Cultural, que leva o seu nome e que recentemente foi alvo de um projeto no mínimo "bobo" do prefeito Valdomiro Lopes, alterando algumas regras e retirando a homenagem feita ao Dr. Nelson.
Felizmente e "sob pressão" o prefeito voltou atrás e garantiu não mudar mais o nome.
Com estes textos em mãos, eu desejava produzir uma matéria completa sobre diversas questões ligadas à Cultura em Rio Preto.  Não que tenha mudado de idéia, mas vou esperar meu amigo restituir por completo a saúde.  Se bem que ao visitá-lo hoje, constatei o que já imaginava.  Para infelicidade de seus inimigos, se é que os tem, está como sempre: bem humorado, forte e ativo. Sinceramente é como se nada lhe tivesse acontecido.  Seu ânimo é inquebrantável.
Aliás, como é inquebrantável seu amor por Rio Preto e seu desprendimento e falta de vaidade.  Diante deste "deslize" politico de Valdomiro, a única coisa que Dr. Nelson comentou foi sua preocupação com o conteúdo do programa e não com o nome em si.
Numa outra vertente desta história, está o acidente.  Ocorrido por conta de uma estrada que já fez muitas vítimas e continua fazendo.  Estrada esta cuja duplicação já consta aprovada, propagada e utilizada por políticos em campanha, mas que não ocorreu ainda.  Será falta de prestígio dos prefeitos de Rio Preto, Guapiaçu e cidades a serem beneficiadas pela "pista dupla"?  Ou será apenas descaso do Governo do Estado?
Nelson Seixas é amigo pessoal do ex e futuro Governador Geraldo, do PSDB.  Será que o recém eleito, inclusive bem eleito em Guapiaçu, vai ficar sabendo que alguém de sua cota de amizade foi vítima da morosidade da máquina pública que dirigiu e vai voltar a dirigir?
Bem.  O importante é que meu amigo está bem.  O Programa de Incentivo continua com seu nome e nós faremos nossa briga pela duplicação da Assis Chateaubriand.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Luz Super Torcida

Extraído da Redação do Site Inovação Tecnológica - 23/11/2010


A luz super torcida pode ser usada para encontrar vestígios de proteínas em amostras de material biológico incrivelmente pequenas.
Torcer um feixe de luz em forma de parafuso é um feito recente, mas já realizado ao longo dos últimos anos.
Agora, pela primeira vez, cientistas da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, conseguiram obter o chamado estado "super trançado", ou "super torcido" da luz.

Luz super torcida

A luz super torcida não existe na natureza e, até agora, só havia sido teorizada pelos cientistas, mas nunca ninguém havia conseguido produzi-la.
Muito mais "apertada" do que a luz torcida, a luz super torcida abre o caminho para experiências muito mais precisas, capazes de alcançar dimensões inalcançáveis com os aparelhos atuais.
Primeiro, os cientistas usaram um filtro polarizador para torcer a luz até deixá-la em forma de parafuso. A seguir, eles direcionaram a luz já torcida sobre uma superfície de ouro com um formato especialmente projetado para refletir a luz de determinada forma.
A luz assim refletida alcançou o estágio de "super torcida".


Vestígios de proteínas

A luz super torcida pode ser usada para encontrar vestígios de proteínas em amostras de material biológico incrivelmente pequenas, muito menores do que as amostras necessárias pelos sistemas de análise atuais - na fixa dos picogramas.
Os cientistas testaram esta possibilidade e verificaram que sua luz super trançada é particularmente sensível às estruturas de proteínas que causam doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson.
A luz torcida, ou luz polarizada, já é usada em algumas técnicas médicas para analisar biomoléculas. Por isto os cientistas perseguiam com tanto afinco a possibilidade de torcê-la ainda mais, já que eles imaginavam que a luz super torcida deveria permitir uma análise ainda mais precisa das amostras.
O uso mais promissor da luz super trançada está na espectroscopia, uma técnica de análise que estuda os materiais de acordo com a forma como eles absorvem e reemitem a luz.


Luz nunca vista

"Nós agora estamos vendo se esta mesma técnica pode ser adaptada para detectar uma gama maior de proteínas, que são indicativas de outras doenças. O fato de esse método exigir muito menos material para análise do que as técnicas atuais, e utilizar uma forma de luz nunca vista é um grande passo adiante," diz o Dr. Malcolm Kadodwala, coordenador da pesquisa.
Utilizada desde a detecção de objetos celestes extremamente distantes até o biossensoriamento, a espectroscopia, agora incrementada pela luz super torcida, também deverá se tornar útil na detecção de determinados tipos de vírus que têm estruturas semelhantes.

Veja mais sobre a luz torcida na reportagem: Luz torcida: cientistas torcem e retorcem a luz.


Bibliografia:
Ultrasensitive detection and characterization of biomolecules using superchiral fields
E. Hendry, T. Carpy, J. Johnston, M. Popland, R. V. Mikhaylovskiy, A. J. Lapthorn, S. M. Kelly, L. D. Barron, N. Gadegaard, M. Kadodwala
Nature Nanotechnology
Vol.: 5, 783-787
DOI: 10.1038/nnano.2010.209

sábado, 20 de novembro de 2010

Ato de Filiações

O Deputado Estadual eleito João Paulo Rillo esteve, na manhã de hoje, em ato de filiações do PT na cidade de Guapiaçu.  Acompanhado do ex-prefeito de Rio Preto e primeiro suplente da Câmara Federal pelo PDT, Prof. Manoel Antunes, Rillo agradeceu pelos votos recebidos na cidade e pelo apoio da militância nas campanhas sua e de Dilma.
O partido está em processo de reestruturação na cidade e somente nesta manhã trouxe para suas fileiras mais dez filiados.
Uma análise dos processos eleitorais na cidade, demonstra que há boa parte da população insatisfeita e não de hoje.  Assim, o partido se enquadra como alternativa séria e deverá usar os dois próximos anos para se organizar e ganhar força.
Dentre as principais estratégias está uma grande campanha de filiação.
O Deputado Estadual Rillo colocou-se à disposição do diretório local,  no que foi acompanhado de Manoel Antunes que também afirmou estar disponível para ajudar, inclusive na interlocução com o PDT local.
O ato aconteceu na casa de uma conhecida militante da cidade e uma sede já está pensada para sediar os próximos passos do partido de Lula e Dilma.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

ANTIPÁTICA

Vamos combinar...
Tem proposta mais antipática que o projeto do Prefeito de Rio Preto, Valdomiro Lopes, que muda o nome do Programa de Incentivo à Cultura que hoje tem o nome do ex-deputado Nelson Seixas?  Eu queria entender o que leva um homem público a fazer uma coisa destas. 
Eu sempre defendi que homenagem se faz para pessoas vivas, afinal, se alguém é  homenageado, precisa saber que recebeu aquele agrado.  Depois de morto, de que adianta?
Agora, a atitude de Valdomiro de desfazer uma homenagem sem a menor explicação, no mínimo nos faz crer que há motivos pra lá de particulares em cima disso.  E se isso é verdade, o que temos é um "vingador implacável" no comando do município. 
Cá entre nós, prefeito, cai na real.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Meio Termo



Caroline Gouvêa Gomes

 Por Caroline Prosdoskimys Gouvêa Gomes


Um beliscão, um apertão no braço, um tapinha no bumbum, muitas vezes não são considerados como agressão pelos pais ou responsáveis pela criança.
Entretanto, essas pessoas que cometem esses tipos de castigos, não se colocam na posição das crianças agredidas, para entenderem o que se passa dentro de suas cabeças.
A visão de proteção, amor, cuidado que as crianças têm em seus pais, muitas vezes desaparecem com continuada agressão durante seu desenvolvimento psicológico.  E quando falamos em agressão, não é apenas a agressão física que deve ser levada em conta, mas também agressão vergal, que muitas vezes agride mais do que um castigo físico.
Por outro lado um dia ruim, insatisfação no trabalho, falta de dinheiro, entre outros milhares de problemas, somados à teimosia, gritos, birras, briga entre irmãos, podem transformar completamente um pai ou uma mãe amável, carinhoso ou carinhosa, em possíveis agressores de seus filhos.
É certo que as crianças devem ser educadas com imposição de limites, para que não transformem-se em jovens que matam ou agridem pessoas por prazer (caso dos jovens em Brasília que puseram fogo no índio que dormia na rua, ou dos jovens que agrediram pessoas neste fim de semana em São Paulo, por exemplo), ou simplesmente destratam pessoas sem motivos.  Entretanto não é agredindo seus filhos que as pessoas vão conseguir direcionar para um caminho melhor essas crianças.  Deve haver um meio termo, ou seja, nem agressão e nem liberdade excessiva.
Muitas vezes o acompanhamento profissional pode auxiliar os pais ou responsáveis a aprenderem a lidar com cada fase da criança.

sábado, 13 de novembro de 2010

ENEM

Enquanto o debate político do processo eleitoral se arrastou para a "Idade Média", discutindo questões religiosas, ficou de lado a mais séria de todas as questões a serem tratadas em um país que avança e "mete medo" no mundo civilizado: a Educação.
Lamentável que não se tenha dado o verdadeiro valor ao tema. 
Aliás, sou obrigado a dar um tiro no pé, neste momento, para pedir ao Ministério da Educação e outros envolvidos que prestem mais atenção ao ENEM.  Qualquer mínimo deslize será motivo para que caiam de pau em cima e desacreditem o mais justo de todos os testes de capacitação dos estudantes.
Afinal, ele contraria interesses políticos e econômicos, acabando com o festival de vestibulares que sempre foi uma "farra do boi".
Os jovens se preparam seriamente o ano todo, acreditam no valor do exame.  Não podemos deixar que o ENEM perca sua credibilidade.  É o momento de apelarmos à justiça e também pedir que as Universidades não caiam na besteira de usarem estes problemas como desculpa.
Toda sociedade, inclusive os "humoristas", precisam pensar melhor antes de jogar contra esta idéia.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

CPMF

Como não podia deixar de ser, passadas as eleições, já começaram rumores, boatos e até um abaixo assinado, desta vez contra a volta da CPMF.
Mas eu, sinceramente, quero dizer que sou e sempre fui a favor da CPMF.  Aliás, sou a favor de um imposto único, aplicado justamente como é a CPMF.  É o imposto que as grandes fortunas não conseguem "passar a perna".  Gastou, depositou ou transferiu, paga.
Um imposto único, no gênero CPMF, não exigiria declaração, alíquotas diferentes etc.
Sobre a volta do imposto, o que se deve é fiscalizar a sua destinação e aplicação, apenas isso.
Afinal, quem tem medo de que?

domingo, 7 de novembro de 2010

Mãe só tem uma.

Dou muito valor ao sentimento de "família" presente em meu dia-a-dia e o coloco acima de todas as questões que me possam ser importantes como carreira, dinheiro e outras. 
Procuro ser filhão, bom pai, grande irmão e um bom marido, sobrinho e tio...  Falta muito, pois há uma distância grande entre procurar ser e ser realmente.  Mas tento sim e dou valor a isso e a pessoas que pensam assim.
Com quem aprendi?  Com ela, minha mãe.  Ninguém poderia ter me ensinado melhor este valor de mesa cheia, casa cheia e coração cheio.  É assim que funciona sua casa e sua vida. 
Meus pais sempre tiveram esta característica, pois não basta um querer se o outro não aceitar. 
Onde são as festas de Natal? De Ano Novo? Almoços de Dia dos Pais e Mães, de toda a família? 
Esta memória para mim dos grandes encontros de família sediados em casa, não têm preço.
Dia 6, último sábado, foi aniversário de minha mãe, Darci Antunes Gomes. 
Como sou privilegiado!  Tenho os pais vivos, saudáveis, protegidos por Deus e próximos, diariamente, ao alcance de um beijo e de um abraço.  E tenho me aproveitado muito disso. 
Não há felicidade maior para um Homem que constituir sua família, sem desprender-se daquela na qual fora constituído.
Minha mãe, única filha no meio de 4 irmãos, conseguiu reunir este espírito de "matrona" ao de empreendedora.  Junto com meu pai, tiveram escola, lojas, fábrica, sitio.  Mas se perguntarem como são reconhecidos, eles falam daquilo que mais lhes marcou na vida: "Somos professores".
Conheci minha mãe, pois antes era novo demais para registrar qualquer informação, como professora de piano e proprietária do Conservatório Musical de Mirassol.
Acordava pela manhã ao som de piano e até hoje, Le Lac de Come é minha música predileta, por conta disso.
Me marcam seu arrojo e coragem, tanto como dirigente do Conservatório que reunia piano, coral, balé, violão, flauta, acordeon e outros instrumentos, quanto mais tarde quando lançou a grife Karmel em Rio Preto. 
É inesquecível ter apreciado aquele bom gosto todo, dela que criava as peças e de um time de pessoas campeãs no quesito moda.
Já crescidinhos, meus pais foram para São Paulo onde dominaram três lojas em Shoppings.  Matavam leões por dia.
Fruto dos vários planos econômicos, de assaltos seguidos e mesmo da tributação corrosiva, acabaram sendo consumidos por isso e pela incompreensão minha e de meu irmão que exigíamos sua presença em nossas vidas.  Presença aliás, que nunca nos faltou.  Mesmo quando longe, estávamos o tempo todo em contato e em espírito.  Mas são os filhos que estudam e trabalham fora de casa, não os pais.  E essa cobrança foi a "gota" para que viessem embora.
Foram então lecionar e minha mãe mais uma vez surpreendeu, pois depois de anos sem escola, passou em um concurso e teve que pegar uma escola longe de casa  (em outra cidade) e sozinha, o que fez com a mesma coragem e determinação com que sempre levou a vida.
Hoje minha mãe mora onde ama.  Continua suas criações sempre lindas.  Junto com meu pai, com quem vive há 44 anos, fazem de seu ninho, o ninho dos netos, dos filhos e dos sobrinhos e amigos.
Vida longa, minha mãe, meus parabéns.  Obrigado por estar entre nós.
Seu filho, nora e netos.

D. Demétrio

Recebi e resolvi publicar.  Artigo de D. Demétrio - Bispo de Jales.

A hora é de magnanimidade. O momento é de respeitar, relevar, e perdoar. Todos convidados para a grandeza de ânimo.

Publicados os resultados das eleições, urge festejar a democracia. Por mais frágil que tenha se mostrado durante a campanha, ela acabou se fortalecendo com esta eleição. Podemos fortificá-la mais ainda, se soubermos levar adiante as muitas lições que esta campanha nos deixa.
Quem dá o exemplo é Dilma Rousseff, a candidata eleita Presidente do Brasil. Em seu discurso de domingo à noite, logo após a publicação dos resultados, disse textualmente: “ Dirijo-me também aos partidos de oposição e aos setores da sociedade que não estiveram conosco nesta caminhada. Estendo minha mão a eles.”
Estas palavras têm mais força do que todas as injúrias e difamações que a candidata recebeu durante a campanha. Tornam ainda mais expressiva sua vitória.
A nobre atitude do perdão, precisa vir acompanhada da lúcida constatação dos fatos, e dos desafios que eles nos apresentam.
Na verdade, a candidata Dilma Rousseff precisou enfrentar uma avalanche enorme de obstáculos, desencadeados sobretudo pela carga de preconceitos, cuja virulência surpreendeu, e mostrou quanto a sociedade brasileira ainda está impregnada de resíduos tóxicos da ditadura militar.
O fato de uma candidata ter sido vítima da truculência do regime ditatorial, em vez de servir de oportunidade para lavar a honra de todos os que foram presos arbitrariamente pela ditadura, acabou dando o pretexto para muitos se acharem no direito de vestirem a carapuça de torturadores, e descarregarem sobre a candidata o ódio destilado nos porões do regime militar.
Esta pesada constatação nos coloca um grande desafio. Muitos assim pensam e fazem sem terem culpa das motivações equivocadas que movem seus preconceitos. Não sabem o que foi a ditadura militar. A anistia foi pactuada. Mas de novo se comprova que ela não pode prescindir da memória histórica, que precisa ser cultivada e trabalhada, para que toda a sociedade, conscientemente, erradique no seu nascedouro as sementes da ditadura, que foram plantadas com eficácia pelo regime militar. Caso contrário, elas continuam germinando, e produzindo seus frutos maléficos. A Escola precisa ensinar a verdadeira história da ditadura militar.
Este trabalho só pode ser feito com sucesso, se vier acompanhado da garantia do perdão e da superação de todo e qualquer tipo de vingança. De novo, as circunstâncias apelam para a grandeza de ânimo, que não significa timidez ou subserviência.
O exercício da cidadania, em tempos de campanha eleitoral, precisa levar em conta as circunstâncias de cada um. O que se pede de todos é o voto. Mas existe largo espaço de atuação, visando fornecer critérios para o discernimento dos eleitores.
Atendendo ao apelo de minha consciência, também procurei dar minha pequena contribuição. Agradeço as milhares de manifestações, públicas ou particulares, que expressaram sua concordância com as ponderações que fui fazendo cada semana, ao longo da campanha. Agradeço também aos que sensatamente ponderaram suas divergências, às quais procurei responder com respeito e atenção.
Por outro lado, recebi também algumas furiosas contestações, e alguns ataques de caráter pessoal, carregados de ódio, e revestidos da presunção de seus autores de se julgarem os justiceiros da ira divina, para condenarem ao inferno todos os seus desafetos.
Pela exorbitância de suas acusações, devo avisá-los que mereceram destino menos solene que o inferno. De modo que ainda podem contar com meu perdão.
Além do mais, não me preocupo com julgamentos humanos. Como Davi, também prefiro mil vezes cair nas mãos de Deus, do que ser julgado pela justiça humana.
Mas o resultado dessas eleições nos convida a tirar muitas outras lições, que, estas sim, nos motivam a deixar de lado condenações ou represálias, e contribuir com tudo o que estiver ao nosso alcance para levar em frente a nobre tarefa de construirmos juntos um Brasil justo e solidário.

(*) Bispo diocesano de Jales

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Brincadeira de mau gosto?

Não se pode chamar só de racismo, nem apenas xenofobia, a atitude dos internautas que atacaram a população do norte e nordeste, via Twitter, por conta do resultado das eleições. O que esta gente praticou foi incitação pública, geradora de ódio em rede cuja abrangência é difícil de se medir.
É urgente uma resposta da sociedade a este comportamento irracional e inaceitável para este momento de nossa história.
Não se pode aceitar idéias separatistas, superioridades ou inferioridades de qualquer espécie entre raças, etnias ou o que o valha.  Isto é ultrapassado, invalidado pela corrente que lavou a humanidade no sangue de tantos inocentes.
Como aceitar advogados, possíveis futuros juizes ou promotores com este pensamento?  Essa gente deve ser impedida de prestar concursos, de exercer profissões nobres, pois como tratarão seus assistidos se forem nordestinos, nortistas, negros ou qualquer outro que odeiem sem sequer saber por que?
Pelo lastro de seu perfil, fica claro para nós que nem sabem direito em quem votam ou querem votar, pois não entendem nada, nem origem e nem consequencia dos problemas sociais ou econômicos do mundo.  São verdadeiros analfabetos políticos em tenra idade.
A internet é um importante instrumento, que em mãos corretas torna o mundo, um lugar de possibilidades incríveis, mas que em mãos erradas, promove a sujeira e o que há de pior na criação ou gene de certas pessoas. Assim sendo, deveria haver critérios para quem usa.
Os moderadores destas redes sociais deviam desqualificar estas pessoas, descredenciar estas contas e evitar que gente assim se misturasse a um monte de outros bem intencionados que tiram proveito deste veículo.
Que vergonha que alguns destes pertençam ao meu Estado.  Mas felizmente não tiramos a medida dos paulistas por estes poucos.  Ainda pensam de forma estreita, achando mesmo que o mundo se divide em nações, sexo, cores, credos ou dialetos...  São ratos de shopping center, "patricinhas" e "mauricinhos" que nada fazem a não ser o papel de "caixinha de ressonância". 
Espero que tudo não tenha passado de uma infeliz brincadeira... Brincadeira de muito mau gosto, diga-se de passagem.  Mas que não seja de fato ódio ou qualquer coisa do gênero.  Seria triste demais.  Trágico demais.

Portal de Vídeos Científicos é lançado pela UNICAMP

Agência Fapesp - 01/11/2010 -
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=portal-videos-unicamp&id=020175101101&ebol=sim

O Centro de Computação da Universidade Estadual de Campinas (CCUEC) lançou um novo portal para hospedagem de vídeos. O serviço é mais rápido, abrangente e fácil de usar do que o anterior, em funcionamento desde 1999.
O serviço reunia vídeos com eventos, palestras e cursos, entre outros. Grande parte do conteúdo foi feita a partir de transmissões de eventos ao vivo, realizadas por diversas unidades da Unicamp.
Esse conteúdo era armazenado no portal, para visualização posterior, utilizando o formato Real Media.
Segundo o CCUEC, em um projeto iniciado este ano, com a proposta de oferecer mecanismos de uso mais fáceis e ágeis para que a comunidade da Unicamp pudesse publicar seus vídeos, todo o site foi migrado para o sistema ClipBucket, baseado em software livre.
A instalação do sistema requereu a tradução de toda a interface, visto que ainda não havia uma tradução completa para a língua portuguesa.
Inicialmente, o sistema foi liberado para usuários das faculdades de Educação, de Ciências Médicas e de Engenharia Elétrica, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, da RTV Unicamp e do Programa RedeFor na Unicamp.
A partir de novembro, o sistema será aberto ao cadastramento de contas de novos usuários.
Para o lançamento do novo portal, denominado Câmera Web CCUEC, foi realizada a conversão de aproximadamente 370 vídeos para o formato Flash Video, o mesmo usado pelo YouTube.
O formato permite que os vídeos possam ser assistidos diretamente a partir do próprio programa de navegação na internet, sem a necessidade de instalação de visualizadores externos, como ocorre na exibição de vídeos no formato Real Media.
O serviço já conta com cerca de 500 vídeos publicados. Faz parte do acervo, dentre outros, a palestra A História da Unicamp, ministrada por Eustáquio Gomes, em 2006, no auditório do Centro de Computação.
O vídeo mais exibido até o momento faz parte do acervo criado para o programa RedeFor na Unicamp, no qual a professora Márcia Abreu, do Instituto de Estudos da Linguagem, faz a apresentação da disciplina Literatura, Leitura e Ensino.
O novo sistema possui ferramentas semelhantes às oferecidas pelo YouTube, Blip.tv e outros, que permitem criar listas de favoritos, publicar recomendações em redes sociais, buscar vídeos por autores, palavras-chave ou categorias e agrupar segundo tópicos.
Os visitantes podem ver quais vídeos estão sendo exibidos no momento, os mais populares e os acrescentados mais recentemente ao acervo. Também podem publicar comentários sobre os vídeos.
O serviço oferece também recursos de conversão de diferentes formatos em Flash Video (flv), durante o processo de publicação.
O novo portal pode ser acessado no endereço http://cameraweb.ccuec.unicamp.br.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Uma rosa para Lydia.

Ontem, dia 1o de novembro, completaram-se 7 anos do passamento de minha avó materna, Lydia Peloso Antunes.  Mulher do construtor Antônio Antunes, dona Lydia se caracterizou por um incorrigível e combativo amor pelo seu clã.  Descendente de imigrantes italianos, teve uma educação voltada ao trabalho duro e constante, o que sempre a moveu.  Não fosse sua dedicação pela família, não teria talvez seu marido e filhos obtido os resultados encontrados.
Perdeu em tenra idade, o filho Antonio Antunes Filho no desastre do Rio Turvo  em que outros 58 estudantes faleceram.
Não posso deixar de lembrá-la neste momento, pois foi sempre, para mim, a segunda mãe.  Seu carinho, dedicação e os bolinhos de chuva não me abandonam jamais.

Resumos

Acabou a ressaca eleitoral... O negócio agora é voltar para o trabalho e lutar pra trazer comida para os filhotes.
Mas valeu à pena toda essa briga. Eu, particularmente, estou de alma lavada.

Agora, Serra precisa reavaliar seus conceitos urgentemente, pois grande parte de sua campanha se perdeu por conta das mentiradas e outras asneiras cometidas.  Trazer as discussões do campo político para o religioso, numa absurda alusão à Idade Média foi demais até mesmo para seus antigos aliados.

Rio Preto sempre teve esta mania de votar no centro-direita.  Maluf já ganhou diversas vezes por aqui e candidatos do antigo PDS, hoje PP e DEM, fazem um tremendo sucesso. Agora é PSDB que se caracteriza por este campo. Rio Preto já elegeu e reelegeu deputados e senadores que nunca sequer deram o ar da graça, a não ser em períodos eleitorais. Além disso, nossas Câmaras Municipais, são sempre isso aí que estamos vendo.  Suspendem vereador por conta de seus desabafos (educados ou não), enquanto perdoam outras questões muito, mas infinitamente piores, cometidas por outros edis.  O duro é que tem alguns ali que sinceramente eu não esperava cairem nessa.

Enfim teremos um mediador na região.  João Paulo Rillo deverá desfazer, junto ao Governo Federal, esta imagem negativa causada pelo resultado das urnas na eleição de domingo.  Esperemos que ele esteja sempre por perto, inclusive no tocante a algumas outras cidades da região onde o resultado das urnas foi semelhante.

E olha... Guapiaçu que tem um grupo pesado de tucanos e quase todas as casas têm o número 45, deu um show... Lá a petista Dilma só perdeu por 219 votos de diferença, melhorando seu resultado obtido no primeiro turno.  O PSDB já está colocando suas barbas de molho para o próximo pleito municipal.  O PT se organizou numa velocidade inacreditável e o grupo está coeso e decidido.

Ontem o programa Roda Viva da Cultura trouxe o petista José Dirceu.  Diante do bombardeio sofrido pelos jornalistas, saiu-se sempre muito bem e comprovou porque continua sendo um dos principais líderes do PT.  Uma das figuras mais injustiçadas no episódio "mensalão", Dirceu ainda espera julgamento do Supremo para voltar à vida pública.

No domingo, programa da TV a cabo mostrou a história de Dilma, pouco antes de seu discurso.  Incrível como esta história devia ter sido mostrada antes da forma como foi.  Ficou evidente seu valor, sua capacidade e seu merecimento histórico em se tornar a primeira mulher presidente do Brasil.

A rainha caipira.

A partir de hoje, me dedicarei a publicar, de quando em quando, contos e crônicas escritos por meu pai, Carlos Alberto Gomes, que assina com...