domingo, 18 de junho de 2017

Desiderata

Vá placidamente por entre o barulho e a pressa e lembre-se da paz que pode haver no silêncio.
Tanto quanto possível, sem sacrificar seus princípios, conviva bem com todas as pessoas.
Diga a sua verdade calma e claramente e ouça os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes, pois eles também têm sua história. Evite as pessoas vulgares e agressivas, elas são um tormento para o espírito.
Se você se comparar aos outros, pode tornar-se vaidoso ou amargo, porque sempre existirão pessoas superiores e inferiores a você.
Usufrua suas conquistas, assim como seus planos. Manter-se interessado em sua própria carreira, mesmo que humilde, é um bem verdadeiro na sorte incerta dos tempos.
Tenha cautela em seus negócios, pois o mundo é cheio de artifícios, mas não deixe isso te cegar à virtude que existe. Muitos lutam por ideais nobres e por toda parte a vida é cheia de heroísmo.
Seja você mesmo. Sobretudo, não finja afeições.
Não seja cínico sobre o amor, porque, apesar de toda aridez e desencantamento, ele é tão perene quanto a relva.
Aceite gentilmente o conselho dos anos, renunciando com benevolência às coisas da juventude.
Alimente a força do espírito para ter proteção em um súbito infortúnio. Mas não se torture com temores imaginários. Muitos medos nascem da solidão e do cansaço.
Adote uma disciplina sadia, mas não seja exigente demais. Seja gentil consigo mesmo.
Você é filho do Universo, assim como as árvores e as estrelas
Você é filho do Universo, assim como as árvores e as estrelas. Você tem o direito de estar aqui.

E mesmo que não lhe pareça claro, o Universo, com certeza, está evoluindo como deveria.
Portanto, esteja em paz com Deus, não importa como você O conceba.
E, quaisquer que sejam as suas lutas e aspirações no ruidoso tumulto da vida, mantenha a paz em sua alma.
Apesar de todas as falsidades, maldades e sonhos desfeitos, este ainda é um belo mundo. Alegre-se. Empenhe-se em ser feliz!

(Desiderata, do latim "coisas desejadas", é um poema que foi encontrado num livro da igreja de Saint Paul, em Baltimore, nos EUA. Muitos o atribuíram a um autor anônimo, e a data de sua publicação é igualmente considerada por muitos como o ano de 1692. Na realidade, se trata de um poema do escritor americano Max Ehrmann (1872–1945), e que foi escrito em 1927. O motivo da confusão é que em 1956 o poema foi inserido numa compilação de textos devocionais pelo reverendo que na época presidia a igreja de Saint Paul. 1692 é, em realidade, o ano de fundação desta igreja. Isso tudo, entretanto, não retira a grandiosidade e beleza do poema."

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Jubileu !!!

Dicas para meus amigos que já passaram dos 50 anos:

➖ Gaste o seu dinheiro com você, com seus gostos e caprichos.

➖ É hora de usar o dinheiro (pouco ou muito) que você conseguiu economizar . Use-o para você, não para guardá-lo e não para ser desfrutado por aqueles que não tem a menor noção do sacrifício que você fez para consegui-lo.

➖ Não é tempo para maravilhosos investimentos, por mais que possam parecer, eles só trazem problemas e é hora de ter muita paz e tranquilidade.

➖ PARE de PREOCUPAR-SE COM A SITUAÇÃO FINANCEIRA dos filhos e netos. Não se sinta culpado por gastar o seu dinheiro consigo mesmo. Você provavelmente já ofereceu o que foi possível na infância e juventude como uma boa educação. Agora, pois, a responsabilidade é deles. JÁ NÃO é época de sustentar qualquer pessoa de sua família.

➖ Seja um pouco egoísta.

➖ Tenha uma vida saudável, sem grande esforço físico. Faça ginástica moderada (por exemplo, andar regularmente) e coma bem.

➖ SEMPRE compre o melhor e mais bonito. Lembre-se que, neste momento, um objetivo fundamental é de gastar dinheiro com você, com seus gostos e caprichos e do seu parceiro. Após a morte o dinheiro só gera ódio e ressentimento.

 ➖ NADA de angustiar-se com pouca coisa. Na vida tudo passa, sejam bons momentos para serem lembrados, sejam os maus, que devem rapidamente ser esquecidos.

➖ Independente da idade, sempre mantenha vivo o amor. Ame o seu parceiro, ame a vida.

➖ LEMBRE-SE !! “Um homem nunca é velho enquanto se lhe reste a inteligência e o afeto”.

➖ Seja vaidoso. Cabeleireiro frequente, faça as unhas, vá ao dermatologista, dentista, e use perfumes e cremes com moderação.

➖ SEMPRE mantenha-se atualizado. Leia livros e jornais, ouça rádio, assista bons programas na TV, visite Internet.

➖ Respeite a opinião dos JOVENS. Muitos deles estão melhor preparados para a vida, como nós quando estávamos a sua idade. Nunca use o termo “no meu tempo¨. Seu tempo é agora.

➖ NÃO caia em tentação de viver com filhos ou netos. Apesar de ocasionalmente ir alguns dias como hóspede, respeite a privacidade deles, mas especialmente a sua.

➖ Pode ser muito divertido conviver com pessoas de sua idade.

➖ Mantenha um hobby. Você pode viajar, caminhar, cozinhar, ler, dançar, cuidar de um gato, de um cachorro, cuidar de plantas, cartas de baralho...

➖ Faça o que você gosta e o que seus recursos permitem.

➖ ACEITE convites. Batizados, formaturas, aniversários, casamentos, conferências … Visite museus, vá para o campo … o importante é sair de casa por um tempo.

➖ Fale pouco e ouça mais. Sua vida e seu passado só importam para você mesmo. Se alguém lhe perguntar sobre esses assuntos, seja breve e tente falar sobre coisas boas e agradáveis. Jamais se lamente.

➖ Permaneça apegado à religião.

➖ Ria-se muito, ria-se de tudo. Você é um sortudo, você teve uma vida, uma vida longa.

➖ Não faça caso do que dizem a seu respeito, e menos do que pensam de você.

➖ Se alguém lhe diz que agora você não faz nada de importante, não se preocupe. A coisa mais importante já está feita: você e sua história.

➖"A vida é muito curta para beber vinho ruim”

(Texto de Gustavo Krause)

Um Brinde aos Amigos acima dos 50!

domingo, 11 de junho de 2017

Um café por uma dica.

Domingo é interessante porque nos permite o encontro com pessoas amigas e a discussão de diversos assuntos de forma desarmada.
Foi assim, em um simples cafezinho, que aconteceu uma destas conversas com alguém que está iniciando suas atividades no Mercado como profissional de vendas.  Em meio ao bate-papo, surgiram alguns questionamentos para eu responder.
Fico lisonjeado quando alguém vê em mim um mínimo de possibilidade de exemplo.  Sou um vaidoso incurável.  Então exagero na contribuição.  A cada pergunta que recebo, devolvo um discurso completo.  E depois, pra piorar, adoro propagar.  Quem sabe, se ajudou a "Chico", ajude a "Francisco" também.

1. Quais são os primeiros passos que devo dar como vendedor de um determinado produto?

Insisto.  A capacidade de avaliar, com antecedência, o cliente a ser visitado ou abordado e qual produto lhe recomendar. E claro, ter a certeza sobre tudo dos produtos que representa.
Geralmente há uma gama de produtos disponíveis.  Mas quais são os benefícios de cada um e sua relação com o "prospect" escolhido?
Há uma forma simples de descobrir isso sem muito esforço.  Basta usar a estreita relação entre o vendedor e o produto com o qual trabalha, caso seja dele usuário. É sempre assim. Explicamos melhor um endereço, quando já estivemos no local.  Saberemos detalhes de um produto, quando fizermos uso do mesmo.
É o que recomendo sempre aos meus franqueados e parceiros no ramo de seguros.  "Utilizem nossos produtos.  Tenha seguro do seu automóvel, da sua casa, de vida, de previdência".  Quem usa, aprende tudo sobre o produto utilizado pra sempre e descobre sua relevância.  Se começam a trabalhar pensando que é uma despesa desnecessária, já não servem para vender tais produtos.
Quando cientes de seus benefícios, vantagens e importância real, estão prontos a convencer os outros.

2. O que eu preciso mostrar para o cliente em termos de "material de venda"?

Depende muito do ramo ou produto praticado.  Mas eu não sei abordar um cliente sem ter os mecanismos áudio-visuais-sinestésicos ao meu dispor.
Sou convicto de que as pessoas possuem percepção diferente do seu mundo exterior, umas das outras.
Há aqueles que vêem melhor, outros que escutam com precisão e ainda os que só tem sua atenção presa quando tocam em algo.
Desta feita, uniforme, cartão de visitas, "folders" e outros materiais como vídeos, por exemplo, demarcam a excelência de uma boa apresentação.  São ferramentas de apoio.  Instrumentos de trabalho tão importantes quanto tabelas e calculadoras.
Em meu ramo (seguros), poucos são os que utilizam estas ferramentas.  Quem as usa, faz toda a diferença.

3. O que pode me colocar para escanteio, logo na apresentação?

Hesitar.  O despreparo, a dúvida e a falta de conexão com o Mercado, são pecados capitais no mundo dos negócios.
Conhecer toda a tecnologia vigente, saber onde estão as respostas em caso de dúvidas inesperadas, saber passear pelo site da empresa e condições comerciais do produto, não é vantagem alguma, mas condição básica para merecer a confiança e a atenção do ouvinte.

4. Mas se eu devo saber tudo sobre os produtos, então nunca estarei pronto.

Claro que não é esperado de qualquer um o conhecimento pleno.  Mas peguemos os representantes de laboratório, por exemplo.  Precisam convencer médicos a usar este medicamente e não aquele.  Como farão isso sem conhecer a fundo a doença e a aplicabilidade do medicamento oferecido?
Se o representante está pronto para debater com o médico, presume-se que investigou, estudou ou minimamente fez uma boa leitura do caso antes da visita.
Há vendedores que confiam demais no seu "rolodex" de contatos, pensando que basta ter muitos nomes numa lista e terão bom desempenho como agentes de vendas.
Se não estiverem dispostos a pesquisar, estudar e se debruçar algumas horas sobre o que vão fazer, "morrerão" na próxima esquina.
Empresas sérias oferecem uma universidade corporativa ou material de consulta vasto, com orientação e atendimento auxiliar.

5. Em uma gama de muitos produtos, como saber quais estudar primeiro e que tipo de público abordar em primeiro lugar?

As perguntas se entrelaçam.  Melhor avaliar primeiro o público e identificar quais produtos lhes são mais adequados.
Imaginemos alguns pontos como região geográfica (prevalência de público ou Mercado), sazonalidade (melhor época para isso ou aquilo) ou ainda o perfil das pessoas.  O que é mais fácil para você?
Se for a região, quais as economias ali presentes?  Prevalência de algum comércio específico?
Imobiliárias, escolas, lojas, escritórios, consultórios médicos, residências... E quais são os produtos para este tipo mais presente?
Se é melhor avaliar a sazonalidade, de que momento estamos falando?  Inverno, início de aulas, visita de turistas etc.
E se formos avaliar pelo perfil, qual é o público em termos de classe social, formação acadêmica, faixa etária e assim vai.

Não há como terminar uma conversa destas sem dar o toque final.
Planejamento.  Tudo é planejamento.  O bom profissional de vendas dorme tarde.  Fica horas lendo artigos, avaliando o ambiente onde atua, imaginando como as pessoas diferentes reagiriam a sua conversa e traçando estratégias.
Não há como vencer na atuação comercial sem estudo e planejamento.  Mas claro e óbvio.  O planejamento sem a execução e reavaliação é tempo perdido.  Dispêndio irracional de energia.




As peripécias de Baía - Remanescências de Carlos Alberto Gomes (Gomes de Castro)

As peripécias de Baía.                 "É desnecessário que se diga o porquê do apelido desse rapaz. Muito pouco crédito se de...