sábado, 30 de março de 2013

Mensagem do amigo, Professor Manoel Antunes:

Amigas e amigos

O transcendental significado humanístico da Páscoa, perpassa os séculos para relembrá-la  como símbolo de liberdade e esperança para a humanidade. Por isso, se o período da quaresma fosse respeitado como era alguns atrás,  se,  a preocupação sobre o verdadeiro significado da Páscoa fosse maior do que a corrida desesperada às lojas em busca de ovos de chocolate, e se todos refletissem o quanto é importante promover o renascimento de Cristo em seus corações... o céu seria mais azul,  o sol brilharia ainda mais, o amor ao próximo  viveria em constante primavera, e os coelhinhos brancos da Paz percorreriam livremente os verdes campos da Esperança deste nosso Brasil  iluminado   pelo Cruzeiro do Sul.  Feliz Páscoa.

Abraços

domingo, 24 de março de 2013

Domingo Legal e Dias de Sísifo

Que domingo excepcional!

Bacalhoada na casa da “mama” com filhos, mulher, pais e padrinho.

Antes disso, uma celebração religiosa na Basílica de Aparecida na Boa Vista, onde aliás fui batizado, marcou o Domingo de Ramos e início da Semana Santa.

Com estas frases acima fica evidente que sou do tipo religioso, familiar e antiquado.  Imagine domingo com missa, almoço em família e conversa em roda pro cafezinho.

Tudo de bom, né?  Mas como anda raro.

Agora o que pesa nisso tudo é o teor da conversa que sempre faz parte dessa roda dominical.

Em que pese a origem católica romana, fortalecida agora pela escolha de um Papa decente e diferente, falamos de crianças índigo e cristal.  Falamos de avanços tecnológicos que vão da cura da AIDS e impressora tridimensional até a cura do câncer, tão esperada e de um mundo no qual haverá um único governo e uma única religião.

Falamos de história, passando pelas maldades e equívocos de Stalin ao mesmo tempo que pela grande e avançada visão de Marx.  Do Cirque Du Soleiul que vou ver com minha mulher daqui há duas semanas, até o império Chinês que toma conta silenciosa do Mercado Mundial.

Enfim, a gente cresce um bocado.

No final do dia, coroado por uma caminhada no meu delicioso bairro com a mulher e o filho mais novo, ainda conseguimos falar um pouco sobre criação de filhos e Facebook.

Adoro isso... Conversa boa.  Gente inteligente.  Bem dizia um sábio que ao casar devemos procurar alguém com quem valha à pena conversar, pois com o passar dos anos só sobrarão os bons papos.

Ainda não chegamos a isso, eu e minha mulher, ainda fazemos muitas coisas juntos, mas os bons papos, sempre teremos.

E você que lê estas linhas.  A quanto tempo não tem um bom papo com alguém?

Tenho amigos bons e alguns são bem acima da média no quesito “cabeça”.  Mas também tenho alguns com quem não valha à pena me encontrar.  Falei disso com minha mulher.

Me irrito muito quando me encontro com algumas pessoas que não só pensam diferente de mim, pois pensar diferente é super natural, mas que são entregues à mais pura alienação.

Gente que reproduz o que dizem as mídias serviçais do grande capital sem jamais questionar.  Não há raciocínio além do emprego ou faculdade que façam.  Consumistas inveterados na exibição permanente de novas aquisições materiais.

Eu queria ir além.  Na minha oração desta noite, vou pedir a Deus que me dê luz para progredir cada dia mais, mental, intelectual e espiritualmente.

Ah, claro.  E também financeiramente.  Afinal é por conta desta corrida permanente por dinheiro para pagar contas, comprar instrumentos de vida do dia a dia, pagar escolas e saúde num país sem o básico do que é de direito, que deixamos de lado a instrução, ainda que autodidata.

Também é por conta disso tudo que não nos sentamos mais nas calçadas para conversar com vizinhos, ou que não visitamos mais nossos compadres para trocar bons momentos.

Trabalhamos e trabalhamos, assistindo nas horas vagas os jornais (teleproduzidos) para nos (teleguiar) e deixamos de lado o acompanhamento da vida dos filhos e de nós mesmos.

Dormimos cansados nos sofás cada dia mais confortáveis e ao mesmo tempo distantes, para acordar e recomeçar a lida.

Tudo para manter uma estrutura de vida que nos faz escravos.  Comprar coisas e adquirir outras tantas coisas sem necessidade.  Pagar contas que não precisamos, mas insistimos em ter como fone fixo e celular, TV a cabo e a prestação do DVD, rodas novas pro carro e mais sapatos para caminhadas que não faremos.

E daí, temos que trabalhar mais e mais... E com isso, nos distanciarmos dos filhos, pais e cônjuges etc.

Por isso este domingo tão maravilhoso.  Esta reflexão toda em meio a momentos ímpares de convivência e boa conversa.  Crescimento d’alma e de coração.

Ah, como queria mais dias como este...

segunda-feira, 18 de março de 2013

ANTÔNIO E LYDIA

Hoje faz 30 anos que meu avô materno, Antônio Antunes, faleceu.
Sua trajetória de vida foi interessantíssima. 
Saiu em tenra idade de Leiria, Portugal, onde perdeu os pais bastante criança e foi separado dos irmãos.
Passou por alguns lugares diferentes, chegando ao Brasil, em Rio de Janeiro com 19 anos de vida.
Seguindo seu instinto e trabalhando incansavelmente, chegou a Nova Granada, no interior de São Paulo onde começou a constituir sua família.  Por obra do destino, foi trabalhar em fazenda de meus bizavós paternos, os Gomes de Castro.
Ali aprendeu a ler e escrever e constituiu-se construtor.
Quando veio a Rio Preto, para firmar sua família, trouxe consigo esta profissão a qual exerceu até os últimos instantes de sua vida.
Não tenho número definitivo das obras que realizou, mas consta que formou um bairro (Vila Progresso). 
Inúmeros sobrados estão espalhados pela cidade com destaque à Santa Cruz, onde algumas casas noturnas, restaurantes enfim, hoje estão estabelecidos.
Não por isso, mas por sua dedicação à família e lições inesquecíveis, rendo aqui minhas homenagens.
Meu avô morreu às vésperas do aniversário de Rio Preto que também era aniversário de sua mulher, Lydia Peloso Antunes, que amanhã completaria 97 anos de vida.
Minha querida avó foi fundamental nas realizações do marido, pois cuidou de sua família com amor exemplar.  Minha segunda mãe, descansa ao seu lado no cemitério construído pelo filho, Moacyr Antunes, também construtor.
Ficam aqui hoje minhas saudosas homenagens a ambos, com carinho e afeto.

DE NOVO O PAPA

Eu não tenho tido uma conduta exemplar como cristão ou como católico.  Claro que não.
Falho e pecador, sou crítico de alguns pontos da doutrina e mesmo ácido com relação à política do Vaticano.
Parecia portanto distante de qualquer atitude reverente. 
Mas a eleição do argentino e agora papa Francisco me fazem dizer, sem preocupação, que conseguirei finalmente como católico batizado, jurar minha lealdade ao Papa.
Se pensa nos pobres, penso que está de fato ungido.  Se mantém uma doutrina que garante a vida, não se desviou dos princípios que norteiam a Igreja de Cristo.  Se promete renovação nas hostes eclesiais, veio realmente por obra do Espirito Santo.

domingo, 17 de março de 2013

Para bom entendedor, um risco é Francisco

 
A CIDADE DE RIO PRETO

Dias atrás, enquanto almoçávamos, eu e minha mulher vimos uma reportagem em que era mostrada uma escola municipal no mais completo estado de abandono.  O parquinho infantil onde supostamente as crianças brincariam, cheio de mato.  A escola não fazia a distribuição correta da merenda.  A Secretaria de Educação, colocou uma funcionária para "dar a cara a tapa" no lugar de quem de direito para tentar explicar o que não tinha justificativa alguma.  A falta de uniformes escolares também está na boca do povo.  Praças abandonadas contrastam com a linda avenida Philadelpho.  Finalmente, as inundações nas avenidas provam que não há soluções mágicas para o caso.
Na Câmara Municipal, o que parecia ser uma renovação mostrou-se reprodução do que houve de pior no Legislativo passado.  Com raríssimas exceções, a maioria dos vereadores faz o jogo do Prefeito e arquiva CEIs se negando ao principal papel do Vereador: fiscalizar o Executivo.
Numa pequena postagem no Facebook convidando amigos a acompanhar-nos na sessão da Câmara, obtivemos uma infinita lista de confirmações.  Isso prova que a população já não está tão tolerante assim.


FRANCISCO I - O ARGENTINO

Eu estava na Basílica de Nossa Senhora de Aparecida em São José do Rio Preto na última quarta-feira às 15h15, quando os sinos da Igreja anunciaram o fim do Conclave.  Fora escolhido o novo Papa.
Foi uma grande emoção ficar em silêncio ouvindo os sinos enquanto o padre anunciava aos presentes que a eleição produzira a fumaça do "habemus papam".
Um Papa latinoamericano é para marcar de vez a "nova era".  Sensível aos problemas vividos por gente destas paragens que incluem uma existência inteira de exploração pelos paises ricos, a perspectiva é que pense bastante nos pobres.  Parece-me ser esta sua palavra de ordem. 
Ao escolher o nome Francisco, mostra uma tendência bastante interessante em seguir a linha de seu homenageado Francisco de Assis, tido pelo dito como Santo dos Pobres.
Francisco declarou que o brasileiro D. Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo e seu amigo, teria lhe dado a dica do nome quando ao cumprimentá-lo pediu: "Não se esqueça dos pobres".
Em que pesem algumas posições conservadores do cardeal argentino, agora novo Papa, auguramos atitudes renovadoras para a Igreja que precisa mesmo desfazer uma imagem complicada perante os fiéis do mundo todo e se apresentar mais santa e menos pecadora.
Sendo assim, seria conveniente ele não tomar nenhum chazinho sem antes fazer uns testes.  Até hoje alguns de nós não engolem a morte prematura de João Paulo I.
Recentemente um vídeo mostrado na internet, mostra que Bento XVI estava com problemas sérios em alguns setores.  Não consigo saber se o vídeo é real, mas assim como recebi, informo o link para os curiosos verificarem sua veracidade: http://youtu.be/_eJcKr6W7pk




LIBERTADORES

E o Timão, ganhará de novo a Libertadores?  Time para isso tem.  Só queria entender a lógica dos técnicos que esperam até os momentos finais para darem aquelas mexidas no time que alteram completamente os resultados.





CHAVEZ - TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

Passei cerca de duas semanas brigando com amigos ao defender Hugo Chavez.  Entre dezenas de postagens ridículas e desinformadas sobre o ex-presidente Venezuelano, uma excelente postagem de um professor na universidade de Oxford foi o melhor.  Você deveria assistir: http://www.youtube.com/watch?v=9gES8IJ7dEA&feature=youtu.be


domingo, 10 de março de 2013


Alguns amigos me questionam o que a morte de Hugo Chavez tem a ver com o Brasil.

Tem gente que não aceita pensar sobre o assunto, porque simplesmente comprou a idéia propagada pela mídia internacional de que Chavez foi um ditador, louco e desequilibrado.

Eu já começo abrindo um parênteses para lembrar que Brasil e Venezuela se assemelham em questões muito claras, sendo a principal delas a distância entre ricos e pobres.

Assim como Lula, no início de seu governo, Chavez “mexeu com o queijo” das elites dominantes, o que provocou imediata antipatia.  No entanto, ao contrário de Lula, o líder venezuelano usou de muita autoridade e da força de seu populismo para fazer valer suas intenções.  Preferiu isso às negociações e conchavos que ficam muito no campo da teoria.

Empreendeu com todas as forças contra o neoliberalismo, que no Brasil, entregou o Estado.

Também brigou pelo fim do analfabetismo em seu país e tirou muuuuuita gente da linha da miséria.

De quebra, defendeu suas riquezas internas (o petróleo) e ainda foi o grande defensor da unidade latino-americana no que chamou de “revolução bolivariana”.

Chavez enfrentou sobretudo a midia de seu país, que também semelhante a nossa, servia aos interesses das elites, das oligarquias.  Ah se Lula ou Dilma fizessem isso!

Hoje, a mídia mundial festeja o fato do passamento de seu maior inimigo e os desavisados e alienados dizem “amém”.

Não sei ao certo o que vai acontecer na Venezuela.  Não entendo bem se haverá sucessores com força popular suficiente para enfrentar estas “forças do mal”.  Mas o fato é que aqui no Brasil, sobretudo os mais esclarecidos, não podem ressonar aos quatro cantos como vêem fazendo.

As manchetes de hoje da Época e Veja são bastante claras e nós sempre soubemos de que lado elas estão e estiveram sempre.

sábado, 2 de março de 2013


Em minha casa há um canto para reflexões, orações, repouso e mesmo reabastecimento d’alma. 

Eu e meus filhos o batizamos de “Stonehenge” em alusão ao “monumento de pedras” existente na Inglaterra e que dataria da era do bronze.

Esta casa foi mesmo abençoada.  Aqui vivi a recuperação de meu AVC, o reinicio de minha vida profissional retornando para o mundo do franchising.  Meus três filhos viveram de forma saudável seus dias.  Não faltaram frutas e sobretudo flores.

Abençoo dia-a-dia em minhas preces aos construtores, proprietários, moradores (atuais, antigos e futuros) e visitantes, deste quase templo sagrado pra mim.

Espero sinceramente merecer mais disso em minha vida, a saber, uma casa simples, mas rodeada de vida, natureza e cantar de pássaros.

Contraditórios

I - Estes dias me deparei com uma pergunta muito cruel: "Não é incoerente um empresário se dizer comunista ou de esquerda?" ...