domingo, 28 de fevereiro de 2016

San Martin e SINCOR/SP

O trabalho que vem sendo realizado pelo Presidente do SINCOR-SP, Alexandre Camillo é digno de grande atenção por parte de todos os corretores de norte a sul do Brasil.
Sua visão estratégica e mesmo orientações aos associados da entidade no Estado de São Paulo, são de profunda importância para o crescimento responsável desta bela profissão, da qual me orgulho em fazer parte desde 1991.
O seguro desafia qualquer crise e termina 2015 com crescimento de dois dígitos.  E evidente, a classe dos corretores responde por mais de 80% deste resultado.
Não se pode conceber que um grupo de profissionais avance apartado de uma agremiação que trabalha de forma incansável pela segurança e desenvolvimento de seus pares.
Nós, da San Martin Corretora de Seguros, empresa que já soma mais de 20 anos, temos tentado seguir com rigor as indicações e conselhos do Sindicato.
Buscando empreender e inovar, lançamo-nos no franchising há pouco mais de dois anos e contamos hoje com mais de 220 franqueados espalhados por todo o território nacional.
O empreendedorismo responsável tem sido uma das bandeiras de Camillo.
Não menos relevantes são suas considerações pela necessidade de o Corretor de Seguros se atualizar, investindo em formação e aprendizado.  Com vistas nisso, fundamos na metade de 2015 a UNISAN, nossa universidade corporativa que com a contribuição de companhias seguradoras e profissionais do ramo, ajudam nossos agentes, franqueados e profissionais a praticarem a venda organizada, verdadeira, correta e justa dos produtos disponíveis no Mercado.
A disciplina complementa a tríade de conceitos defendidos pelo SINCOR/SP na nossa interpretação. E por meio de uma rigidez em nossa decisão, toda a efetivação de seguros, negociação com seguradoras e acompanhamento de apólices, parcelas, renovações e sinistros dão-se direto de nosso escritório com a supervisão pessoal deste corretor, da diretoria comercial e técnica e os excelentes técnicos que compõem nosso quadro de colaboradores.
O ano que acabamos de iniciar, traz consigo grandes desafios e acreditamos poder vencer a todos eles se perseguirmos as estratégias sinalizadas pelo SINCOR/SP nas pessoas de seu presidente e diretores. Tanto que já vislumbramos acrescentar ao nosso roteiro de prioridades, o Seguro Popular que trará para o consumo de Seguros, um número impensado de novos clientes.  Eis aí mais uma indicação do presidente do SINCOR na última edição do informativo da classe (JCS - 413).
A San Martin que vem produzindo seguros alternativos como Bike, específicos para Pets e outros, não deixará de lançar redes também sobre este promissor oceano de possibilidades.
Em março, a San Martin realiza sua 1a Convenção Nacional, oportunidade em que deseja agradecer publicamente ao SINDICATO pela sua atuação vigilante em favor dos Corretores de Seguros brasileiros.
Nossos mais sinceros cumprimentos ao SINCOR/SP por meio de sua diretoria, delegados regionais e presidente.

A quem interessa destruir a imagem do Brasil?

A fala da presidenta Dilma de que não governa só para o PT, afirmando que precisa governar olhando para todos os interesses, foi perfeita.  Não sei por que a imprensa quis tanto usar isso como "prova" de possível rompimento ou desajuste da mesma com seu partido.
Aliás a imprensa se esmera no tocante a querer destruir qualquer possibilidade de o partido se reerguer, mesmo em esfera íntima, como foi o caso das festividades de aniversário de fundação.
Conheço alguns nobres companheiros de batalha e militância de sempre, que já me confidenciaram que nunca tiveram tanta vontade em se filiar ao PT como estão tendo agora depois de assistirem tão brutal combate promovido pelos principais meios de comunicação formais do país, ao Partido dos Trabalhadores.  Inclusive eu.
Ninguém desconhece os crimes e erros de alguns integrantes da legenda de Lula e Dilma. Tampouco surpreende que lá também, como em qualquer outra agremiação composta por seres humanos, hajam pessoas de moral duvidosa e mesmo criminosos, corruptos ou desonestos.  Todos os Ps da vida estão repletos deles.
O que espanta é a quantidade de sujeiras e crimes de outros partidos, ignorados, diminuídos ou disfarçados enquanto se exaltam os que carregam figuras pertencentes ou apenas próximas do PT.
Imprensa e Ministério Público, estão cometendo um grave desvio que a história há de cobrar. Inclusive no exterior, enquanto alguns apontam que a corrupção tomou conta do Brasil, há outros que desacreditam nossa justiça e nossas mídias internas.
Chega a dar nojo assistir aos telejornais que gastam mais da metade de seu tempo discutindo o sítio de Atibaia, tendo os mesmos ignorado o desvio das merendas em São Paulo, o caso extraconjugal com pagamento de salário mensal à ex-amante de FHC ou a manutenção inexplicável do presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.
Enquanto isso já rifaram o Pré-Sal e nesta busca pela destruição completa da figura de Lula (percebam que antes era Dilma, mas agora é ele o foco, já que Dilma não pode mais ser candidata), fazem com que os efeitos da crise econômica ganhe nuances e proporções altamente perigosos para toda a sociedade brasileira.
A que interesses serve esta gente que de forma quase uníssona, repete dia após dia os mesmos brados e ataques que fizeram a cabeça de tantos e agora, aos poucos já começam a deixar claro que passaram dos limites?
Sim é verdade que há um bom número de brasileiros descrentes e decepcionados com Lula, esquecendo-se de tudo o que ele promoveu em seus anos de governo.  Mas estes hão de acordar quando ficar bastante claro que tudo não passa de um grande esquema de retorno ao poder dos "senhores" de sempre.
Quanto a classe média, que bate-panela, ah essa... Quanto mais bate a panela, mais me convence de que devo votar no PT.  A classe média era composta até pouco tempo por pobres... gente que cresceu e se acha rica.  Tem medo de perder o que não tem e não gosta de ver os seus iguais progredindo ou dividindo o mesmo restaurante, avião ou universidade.
Mas os miseráveis que agora comem, estes não batem panela... Nem as elites verdadeiras, os grandões cujos ganhos nunca regrediram.  Afinal, nem o PT pôde com eles.
Difícil entender isso, né? Ou seja... A quem interessa a não volta do Lula?

Contraditórios

I - Estes dias me deparei com uma pergunta muito cruel: "Não é incoerente um empresário se dizer comunista ou de esquerda?" ...