sexta-feira, 30 de abril de 2010

Eleições na Ilha de Fidel


Fruto de discussão constante em meus grupos de amigos, o país de Fidel Castro realizou neste último dia 25 de abril, mais um processo eleitoral. É o 13o desde os anos 70.
É incrível que ainda haja pessoas que desconheçam que na ilha ocorram eleições constantes e amplamente participadas. Assim, ampliam a desinformação propagada pela mídia elitista que reforça a idéia da "anti-democracia" do governo castrista.
Quero sugerir a leitura de uma matéria extremamente esclarecedora sobre o processo eleitoral cubano no link http://port.pravda.ru/mundo/24-04-2010/29404-eleicoes_cuba-0. Quem preferir pode clicar à esquerda do blog na coluna "Visite e acompanhe" o item Pravda. Se não ficar convencido, faça como eu. Estabeleça contatos com amigos de Cuba e peça que eles próprios expliquem qual é, de longe, o principal problema de Cuba (o embargo promovido pelos EUA).
Enquanto a mídia se preocupa em detonar Evo Morales, Hugo Chaves e Lula, desvia a atenção de problemas extremamente mais devastadores.
O jornalista uruguaio Eduardo Galeano, em seu livreto "O teatro do bem e do mal" já menciona o terror do embargo econômico promovido na era Clinton sobre o Iraque. Só pra se ter uma idéia. O repórter do programa Sessenta Minutos, entrevistou então a Chanceler Madeleine Albright perguntando se ela achava que valia a pena, mais de 500 mil crianças terem morrido no Iraque em consequencia dos embargos e das sanções econômicas, ao que ela respondeu: "Sim, acreditamos que vale a pena".
Esta lógica satânica dos americanos sempre prevaleceu e em nome da "democracia" quantos padeceram. Então não me venha falar sem conhecimento de causa que vai levar "porrada".

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Direto ao Assunto


O comentarista do Jornal do SBT Manhã, José N. Pinto, hoje foi obrigado a se retratar. Diante das noticias sobre a diminuição do desemprego no país e a crescente onda de consumo das classes menos privilegiadas e de setores da sociedade, ele observou que quando o presidente Lula afirmou que a crise econômica, no Brasil faria apenas uma marolinha, havida duvidado. Mais que isso, feito piadas sobre o caso. Hoje reconhecia que o presidente estava com a razão.
O comentarista não foi o único a usar de sarcasmo sobre a frase do presidente. Enquanto a imprensa brasileira fazia comentários ridicularizando a opinião de Lula, o Washington Post já falava que o presidente brasileiro estava com razão em sua análise.

AMIGOS DE RIO PRETO


Na noite de ontem ocorreu a reunião da Amigos de Rio Preto. Por iniciativa do Professor Arif Cais, pessoa sempre preocupada com o meio ambiente, diversas pessoas se encontraram na Casa do Advogado Riopretense, sede da OAB local, para discutir a revitalização da Associação, ao mesmo tempo que debate sobre o projeto do Prefeito de Rio Preto da construção de uma garagem subterrânea na área da Praça D. José Marcondes.
Acredito na importância da sociedade organizada se manter atuante para diminuir os desmandos e outras atitudes de homens públicos pouco interessados no debate popular, como é o caso do Prefeito.
A AMIRP já esteve em lutas importantes como a Privatização do Esgoto, o Parque Temático do Beto Carreiro às margens da Represa Municipal, o Alferville e outros, inclusive a garagem, já proposta durante o governo do prefeito Liberato Caboclo.
A entidade se encontra sem atuação desde 2003, quando então era presidida pelo atual vice-prefeito, o Advogado Gaber Lopes.
A impressão que se tem, a partir deste primeiro encontro, é que o grupo vai realmente caminhar e com bastante peso. Já conta com apoio da OAB, de membros da UNESP de Rio Preto e de vereadores como Marco Rillo e Pedro Roberto que realizam um sério trabalho em nossa Câmara Municipal.
Evidentemente estaremos lá para dar nossa contribuição.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Novidades da Semana e nossa Rio Preto


Na busca por incrementar mais o blog e chamar meus amigos e visitantes para acompanharem comigo tudo o que consigo perceber de bom na internet, acrescentei hoje na minha coluna "Visite e Acompanhe" um blog chamado de Páginas da Vida que relata algumas coisas bastante curiosas. Também coloquei um link para o Blog do meu amigo Ruy Sampaio com quem tive a oportunidade de trabalhar na Prefeitura de Rio Preto. O Blog do Ruy, com certeza trará boas informações e novidades no cenário cultural de nossa região.


Eu que venho pregado a diminuição do uso da televisão pelos meus filhos, instalei na sala de jantar um aparelho para acompanhar as notícias enquanto fazemos a refeição. Graças a Deus, nossa família é bastante unida e raramente deixamos as conversas de lado, substituindo-as por qualquer manifestação do aparelho. Mas assisto a jornais e leio revistas e está certo que algumas coisas estão acontecendo no mundo. Tenho um amigo que faz questão de me contar tudo o que se passa de grave ou de ruim, como a procuradora que, covardemente, judiava da criança que pretendia adotar. Além disso, os noticiários são fartos de coisas de vulto como a explosão do vulcão, super aquecimento global, terremotos, excesso de notícias sobre pedofilia na Igreja, enchentes e tempestades sem precedentes dentre outras coisas. Para os trágicos, como aquele meu amigo e pessimistas, o mundo está realmente agonizando. Que tal se criássemos um movimento tipo "corrente" de alegria e otimismo? Uma reação à má notícia? A principal atitude para se aderir ao movimento seria "não proliferação de más notícias, tragédias ou escândalos". Ao ver um indício de coisa ruím, mudamos de canal, viramos a página e jamais o comentamos em rodinhas de descontração. Que tal, topas?

terça-feira, 27 de abril de 2010

Blogs amigos

Está excelente o blog do Brizola Neto o http://www.tijolaco.com/ e eu faço questão que os amigos e visitantes o prestigiem.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Amigos de Rio Preto


Recebi hoje uma notícia muito feliz... A AMIRP - Associação dos Amigos de Rio Preto, que achei estar desativada, está bastante ativa. Na próxima quarta-feira, dia 28 às 20h na OAB de Rio Preto, haverá uma reunião para a discussão dos rumos da associação e a volta da questão da construção da garagem subterrânea na Praça D. José Marcondes.
Acredito que todo riopretense que puder, deva participar.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

SEGURANÇA PÚBLICA?


Segue texto do amigo Marcos Rodrigues do Brado Informativo:

Proliferam pelo país cursos superiores à distância em segurança pública.
Acham que fornecendo melhor qualificação aos novos e velhos “guardiões da segurança” vão acabar com a injustiça que esta na base desta sociedade. Uma “nova” trágica-comédia num país onde a impunidade[1] cresce dia a dia alegrando as pizzarias!
Até ai nada de estranho. Pois, num sistema em que o problema social não é tratado na sua raiz e sim nas suas ramificações é bem melhor e lucrativo armar e equipar o aparelho, adquirir tecnologia de ponta contra o “crime” [2], investir milhões em presídios [3], entre tantas outras medidas paliativas, ao invés de socializar a produção e acabar com a propriedade privada que, por conseguinte, acabaria com a injustiça social, a violência, o desemprego e geraria novas relações sociais fundadas na preservação da vida e da solidariedade entre os povos [4].
Numa sociedade sem desigualdade social, com acesso irrestrito a tudo por todos, qualquer roubo ou crime seria totalmente anormal.

Lucro e violência

Infelizmente para a classe que detêm o poder (elite), isso seria prejudicial e liquidaria seus lucros. Destruiria suas fortunas e acabariam com suas mordomias. Mas como isso? Acabar com a violência destruiria fortunas? Não é simples o raciocínio, mas vamos tentar explicar apesar do pouco espaço que temos. Essa estrutura de desigualdade social, fundada e sustentada numa ideologia de igualdade jurídica [5] que, em última instância é o reflexo das relações econômicas do modo de produção vigente (capitalismo), só pode existir onde houver contradição de classes, ou seja, onde existir exploradores e explorados.

Deste modo, onde o problema não é solucionado na sua raiz, trilhões e trilhões são gastos para combater pequenas ramificações daninhas [6] que surgem de forma mais explícita na superfície da sociedade. Enquanto que, na raiz do problema nada é tocado, pois, se for tocado, toda a lucrativa estrutura que se funda nesta base podre cairia por terra. Veja bem, a verba aplicada neste segmento é lucro para outros setores que se mantêm vivos, graças a essa assombrosa desigualdade que, além disso, gera entre outros, violência. E que vai gerando toda uma cadeia de conseqüências danosas a vida. Principalmente na da população pobre [7]. Mas, não nos esqueçamos da virilidade da contradição! Sendo assim, é imprescindível ressaltar que ao mesmo tempo é danosa (para muitos) é lucrativa (para poucos).

Se a princípio, a desigualdade social, não única, mas causadora inquestionável da terrível violência que assola a humanidade, fosse de fato combatida seriamente e, por conseguinte, exterminada, levaria consigo não só a violência para o fim, mas também grande parcela das chagas sociais que conhecemos tão bem. E também, é claro, o lucro de muita gente.

Capitalismo é injustiça!

A idéia de justiça neste sistema, ou seja, no capitalismo, é uma idéia abstrata e obtusa que só consegue respaldo com quem cria as leis e com quem se beneficia com elas: a burguesia e seus diversificados fantoches.
Nada além de um prosaico conservadorismo, cozinhado no idealismo e adoçado pelo positivismo ordinário das classes dominantes.
No sistema capitalista é completamente impossível haver qualquer resquício de verdadeira justiça. Um lamaçal de hipocrisia, pois como podem falar ou querer justiça num mundo de quase 1 BILHÃO DE FAMINTOS? Num mundo onde 20% vive nas custas do outros 80%. E além deste gravíssimo problema, os trabalhadores estão apartados dos meios de produção!

Mas, o que são meios de produção?

Meios de produção são maquinários, ferramentas, terra, prédios, fábricas, recursos naturais, energéticos, enfim, todo o arsenal necessário para a produção de mercadorias e serviços.
Uma vez que o trabalhador não tem acesso a tais meios, só lhe resta vender a sua força de trabalho. Através deste único bem que o trabalhador possui (força de trabalho), vendida por salários infames, é que este e sua família conseguem sobreviver e dar continuidade a este ciclo monstruoso de desigualdade e injustiça.
Só que, lembra da contradição?! Nunca há trabalho para todos. Às vezes nem na informalidade o trabalhador consegue sobreviver.

Essa é mais uma lei imanente do capital que necessita de certo índice de desemprego para manter um enorme contingente de mão de obra parada. A isso Karl Marx chamou de exército industrial de reserva que serve, entre outras, para manter os salários sempre o mais baixo possível. Desta forma, só para citar um exemplo, o trabalhador pensará duas ou mais vezes antes de exigir seus direitos numa greve.
Encurralado neste sistema, sem emprego, com a fome batendo-lhe a porta e, muitas vezes nem conseguindo programas assistencialistas que os ajudem, possível e tragicamente, a violência será o caminho mais próximo. Que, por conseguinte, geram as grades, os traumas, as morte e, evidente, a corrupção, a impunidade, os lucros...

Segurança pública?

Dizem ainda, que um profissional da segurança melhor qualificado irá agir com maior generosidade com a população e dureza com a criminalidade [8]. Mas, será que essa generosidade vai existir quando trabalhadores e estudantes estiveram reinvidicando seus justíssimos direitos contra o patronato ou a burocracia acadêmica? Ou será que o Estado vai tratar (se já não trata) trabalhadores e estudantes como criminosos [9]?
Tanto nas greves de trabalhadores como nas greves e manifestações estudantis, a violência é uma marca registrada e inquestionável. Não são raros os casos onde existem fraturas, feridos e até vítimas fatais!
Agora, quando banqueiro é algemado, até Ministro fica indignado! Que comédia nos assola...!

Por outro lado, é compreensível o aumento de tais cursos, assim como o aumento de verba pública para a segurança. Pois, com o esgotamento das políticas de pão e circo e com o aumento escandaloso da desigualdade social, o atrito entre as classes é cada vez mais intenso e destrutivo. O que torna necessária uma energética repressão com a desculpa esfarrapada de manter a ordem e a ilusão de conter a violência que, ironicamente, é gerada pelo mesmo mecanismo que a germina, cria, nutre e que finge combater.

(Aproveitando o momento queremos abrir um parêntese e denunciar que a marginalização dos movimentos sociais orquestrado pela mídia sicofanta é mais um golpe da decadente burguesia que deseja silenciar e criminalizar os que realmente lutam pelo e ao lado do povo. Não caia nessa gandaia desta mídia vassala do capital!)

Considerações finais, mas não conclusivas

Portanto, antes de se discutir ou investir em segurança pública, deveria ser questionado as razões para e a quem serve essa “segurança pública” e o porquê da necessidade da mesma.
Numa sociedade fundada na divisão social do trabalho e na propriedade privada dos meios de produção a aclamada segurança pública age contra o público e beneficia o privado (Neste sistema não poderia ser o contrário!). Pois, só há necessidade de segurança pública e de todo este aparelho de repressão, porque existe uma brutal desigualdade social. Desigualdade que serve como um dos pilares de sustentação da exploração capitalista - geradora de lucros.
Somente numa sociedade sem classes sociais antagônicas poderá haver justiça e uma vida edificadora com as mais amplas e infinitas possibilidades de emancipação humana.

Muito importante: Este assunto é complexo para ser resumido num pequeno artigo. Portanto, logo abaixo fazemos algumas indicações de leituras que possibilitariam um maior entendimento do tema.

Notas
1- Impunidade geralmente é conquistada e/ou cedida para quem ocupa determinados cargos e/ou posição social em nossa sociedade. Porque o pobre, sempre é severamente castigado/condenado para servir de “exemplo os demais”.
2- Nem sempre a tecnologia adquirida pode ser usada contra o crime. Principalmente em casos de corrupção, desvio de verba pública e formação de quadrinha de colarinho branco. Nestes casos, o uso de tal equipamento pode causar exoneração do cargo como em recente caso do conhecimento de todos.
3- Somente no Rio Grande do Sul, segundo dados do portal do próprio Estado, serão investidos R$245 milhões (!!!) até este ano na construção de presídios.
4- Óbvio que isso não acontece por mágica ou milagre, mas, de início é necessário a organização da classe trabalhadora.
5- Assim como no direito a religião também contribui com seus dogmas para ofuscar a realidade enquanto pregam ora um conformismo, ora uma obscura predestinação.
6- Ramificações daninhas que servem de fraseologia sofista nos palanques dos currais eleitorais.
7- Óbvio que as mortes aconteçam de ambos os lados, mas, indiscutivelmente, a grande maioria é da população pobre. Apesar de que, para o capitalismo não importa de que lado ocorrerá às mortes. Em ambos o lucro será garantido. A ganância pelos lucros é maior que o respeito pela vida de qualquer um que seja. O capitalismo usa as pessoas para seu benefício. Vocês não perceberam ainda?!
8- Dureza que só pode ser usada contra coitados, pois, se usada com banqueiros e empresários, a exoneração é certa!
9- Para não sair do objetivo deste artigo, não iremos discutir o conceito de criminoso. Mas, no mínimo muito curioso o discurso oficial a respeito do que pode ser considerado um ato criminoso ou quem é de fato um criminoso. Ainda mais num sistema onde a impunidade é marca registrada e constante.

Indicações para aprofundar o conhecimento sobre o tema deste artigo:
“O Socialismo Jurídico”, F. Engels e K. Kautsky; “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”, F. Engels; “A Ideologia Alemã, Introdução”, Marx & Engels; “Crítica a Filosofia do Direito de Hegel”, K. Marx; “Crítica do Direito I”, F. Engels e outros autores; “Anti-Duhring”, F. Engels; “Produção Destrutiva e Estado Capitalista”, István Mèszáros; “A Lei e a Religião”, V. Klotchkov; “Guerra Civil Estado e Trauma”, Luiz Mir; “O Capital”, vols. I e II, K. Marx; “Revista Caros Amigos” edições:78,122, 141,142 ,152 .

Marcos Rodrigues é estudante,
vende livros para sobreviver e
edita o Jornal Brado Informativo.
Contato: bradoinform@ig.com.br

terça-feira, 20 de abril de 2010

Networking


Esta super definição de "networking", consta como sendo de Max Gehringer, comentarista de RH da Globo.
De qualquer forma, achei interessante e conforme recebi de uma amiga,transmito aos visitantes.


Existem cinco estágios em uma carreira profissional de sucesso:


No primeiro estágio
É aquele em que o funcionário precisa usar crachá, porque quase ninguém na empresa sabe o nome dele.

No segundo estágio
O funcionário começa a ficar conhecido dentro da empresa e seu sobrenome passa a ser o nome do departamento em que trabalha.
Por exemplo, Alexandre de Contas a Pagar.

No terceiro estágio
O funcionário passa a ser conhecido fora da empresa e o nome da empresa se transforma em sobrenome:
Alexandre do Banco Tal.

No quarto estágio
É acrescentado um título hierárquico ao nome dele:
Alexandre , Gerente do Banco Tal.

Finalmente, no quinto estágio
Vem a distinção definitiva.
Pessoas que mal conhecem o Alexandre passam a se referir a ele como "meu amigo Alexandre, Gerente do Banco Tal'.
Esse é o momento em que uma pessoa se torna, mesmo contra sua vontade, um 'amigo profissional'.

Aí existem algumas diferenças entre um amigo que é amigo e um amigo profissional.
Amigos que são amigos trocam sentimentos. Amigos profissionais trocam cartões de visita.
Uma amizade dura para sempre. Uma amizade profissional dura apenas enquanto um estiver sendo útil ao outro.

Amigos de verdade perguntam se podem ajudar. Amigos profissionais solicitam favores.
Amigos de verdade estão no coração. Amigos profissionais estão numa planilha.

É bom ter uma penca de amigos profissionais.
É isso que, hoje, chamamos networking, um círculo de relacionamentos puramente profissional.
Mas é bom não confundir uma coisa com a outra.

Amigos profissionais são necessários.

Amigos de verdade são indispensáveis.

Algum dia - e esse dia chega rápido... - os únicos amigos com quem poderemos contar serão aqueles poucos que fizemos, quando amizade era coisa de amadores, e não de profissionais.
________________________________________

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Maneiras diferentes de se contar uma mesma história...


Conforme recebi de um amigo... E na sequência de revelações sobra a grande imprensa.
Espero que gostem:


COMO A IMPRENSA
TRATARIA DE NOTICIAR
A
HISTÓRIA OCORRIDA COM
CHAPEUZINHO
VERMELHO


JORNAL NACIONAL
(William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um
lobo na noite de ontem...'.
(Fátima Bernardes): '... mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia'.


PROGRAMA DA HEBE
(Hebe Camargo): '... que gracinha gente. Vocês não vão acreditar, mas
essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um
lobo, não é mesmo?'


BRASIL URGENTE
(Datena): '... onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê
as autoridades? ! A menina ia para a casa da vovozinha a pé! Não tem
transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva...
Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho
medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.'


REVISTA VEJA

Lula sabia das intenções do lobo.


REVISTA CLÁUDIA

Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.


REVISTA NOVA

Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.


FOLHA DE S. PAULO

Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador'..
Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos dos lobos e um
imenso infográfico, mostrando como Chapeuzinho foi devorada, e depois
salva pelo lenhador.


O ESTADO DE S. PAULO


Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.


O GLOBO



Petrobrás apóia ONG do lenhador, ligado ao PT, que matou um lobo pra
salvar menor de idade carente.

ZERO HORA

Avó de Chapeuzinho nasceu no RS.


AGORA

Sangue e tragédia na casa da vovó.


REVISTA CARAS

(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte.)
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: 'Até ser
devorada,eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra
pessoa'


PLAYBOY

(Ensaio fotográfico no mês seguinte)
Veja o que só o lobo viu...


REVISTA ISTO É

Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.


G MAGAZINE

(Ensaio fotográfico com lenhador)

Lenhador mostra o machado.

SUPER INTERESSANTE

Lobo mau! mito ou verdade ?

A imprensa nossa de cada dia.



Uma visão mais crítica do processo em que vivemos com a imprensa nacional é capaz de elevar ainda mais o valor de iniciativas como o Brado Informativo. Sim, pois só em informativos descomprometidos e livres como este, encontraremos algum tipo de informação valiosa e verdadeira.
A imprensa brasileira corre livre e solta, destilando suas impurezas na sociedade e fabricando opiniões de forma extravagante e a olhos vistos sem que ninguém a macule. Suas mentiras ou exageros viram verdade inconteste quando assinadas por grandes nomes do cenário jornalístico ou na voz de âncoras simpáticos e escravos das elites. Pior, se levantarmos uma discussão quanto ao seu papel e a seu comportamento, somos taxados de ditadores ou de censores. A má imprensa não tolera ser questionada e como não tem compromisso com a verdade, fabrica o que bem entende sobre quem bem entende desde memoráveis tempos. Alguém aqui já leu o livro Chatô, por exemplo?
Pode-se construir um “caçador de marajás” no nordeste brasileiro em alguns dias, ou coloca-lo para fora do poder com a ajuda de uma simpática mini-série dali há alguns anos.
Em pleno processo eleitoral, assistimos agora a alguns aparelhos da mídia como a revista Veja, o mais destacado movimento anti-Lula da mídia impressa, fazer toda uma campanha em favor do tucano José Serra enquanto exagera nas críticas e difamações à candidata do governo. Não é preciso jurar ou provar, está nas páginas e na forma como tudo é escrito e mostrado. É só comprar e ler. Não bastasse isso, outras questões são fortemente mostradas, sobretudo por meio de cartas de leitores vorazes, com suas consciências limpas, quase sempre, porque votaram em branco ou anularam o voto. Que puros...
A revista devia ter feito uma crítica séria sobre o escândalo das apostilas péssimas que o Grupo Abril imprimiu para o governo do Estado num montante superior a R$ 280 milhões. Devia também ter feito uma análise mais justa e correta sobre a greve dos professores do Estado. Movimento político? Há quanto tempo meus pais (pai e mãe) não recebem aumento de salário? Alguém sabe? Eu sei... e eles também. Ou a “grande defensora do moralismo” devia explicar o porquê de estar brava com o Governo Federal... será que em virtude do BNDES não ter aprovado seus pedidos de empréstimo? E por que não aprovou? Não sei... tem um blog no ar, chamado Conversa Afiada do jornalista Paulo Henrique Amorim que dispõe um pouco estas questões. Dê uma lida.
Mas não é só isso. Enfim, a serviço de quem está a má imprensa? Ela dá seqüência a casos mal explicados quando estes esbarram em gente muito grande? Alguns exemplos estão por aí e ela perde uma grande oportunidade de fazer sensacionalismo... Até sobre a encomenda de assassinato a candidato a presidência já se ouviu falar e não houve um milésimo de destaque se compararmos ao caso de Isabela Nardoni.
Ah, meus amigos... quero distância desta falácia. Se não podemos confiar no que lemos, então estamos mortos em vida. Por isso apelo aos amigos: leiam blogs, caros amigos, carta capital, brado e outras pérolas da coragem e decência, pois não vão encontrar em nenhum outro lugar aquilo que realmente pode ser encarado como verdade.
Medo? Reclama um suposto e-mail de Marilia Gabriela que duvido seja dela... Medo tenho eu de um povo que acorda de manhã pautado pela mídia e só faz o que ela apregoa.
Medo tenho eu de educar meus filhos num país que até pouco tempo insistia em aplaudir gente como Duque de Caxias. Medo tenho eu de viver em um país que está prometendo um grande futuro e fará com isso “fusquinha” aos donos do mundo. Medo tenho eu de que, “pelas vias democráticas” voltemos à estaca menos um, já que na “estaca zero” já estamos há um tempão.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Conversa Afiada


Convido aos visitantes deste blog que visitem agora o site http://www.conversaafiada.com.br/antigo/?p=7458 de Paulo Henrique Amorin. Se preferir, click ao lado na coluna "Visite e Acompanhe".
Ele apresenta a real situação da Educação no Estado de São Paulo sob o governo tucano e inclusive chama a atenção de todos: "Há ANOS os Tucanos – inclusive o Mario Covas – conseguiu blindar notícias ruins sobre as esoclas estaduais. ... Quem será que a Editora Abril irá apoiar em 2010? ... São cerca de 72 milhões de apostilas ao custo de R$ 52.000.000,00". Leia também sobre as reclamações contra a Abril que ficaram sem resposta e o caso que liga o grupo à Africa do Sul. Foi lá que vi, veja também.
Abraços

A injustiça Social e o Novo Milagre Econômico



Texto do amigo Professor Felipe

“Eu perguntei a Deus do céu porque tamanha judiação...” (Lula, o Rei do Baião)

Felizmente não estamos vivendo os tempos das manipulações de dados estatísticos, este período foi superado pelo avanço da democracia. Lembro que Eduardo Suplicy, professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, escreveu um artigo que demonstrava a correlação entre o achatamento salarial e o crescimento da mortalidade infantil. Os ministros da Ditadura Militar, alguns ainda no poder, não gostaram muito das revelações do professor. O saudoso mestre Maurício Tragtenberg havia demonstrado os fundamentos do “Milagre Econômico”, altas taxas de exploração do trabalho, mais-valia relativa e absoluta andavam juntas na nossa Pátria. Afirmei em texto anterior (20/03/10) o seguinte: há quem defenda a tese de que a cultura popular é aquela produzida pelo o povo pobre. Se esta tese for verdadeira em breve não mais existirá cultura popular no Brasil, pois segundo as recentes estatísticas que os pobres estão em extinção, são somente 4% da população. Seria o segundo “Milagre Econômico?”. Relendo texto do pesquisador Marcio Pochmann (O desajuste social no Brasil, Fórum, abril 2009) encontrou dados preocupantes. “Entre 1980 e 2003, por exemplo, o salário mínimo nacional perdeu cerca 60% do seu poder de compra, enquanto o volume de desempregado cresceu quase cinco vezes. No mesmo período, a renda do trabalho perdeu cinco pontos percentuais na sua participação relativa à renda nacional, a renda do capital permaneceu estável. Já o pagamento com juros consumiu uma quantia equivalente a mais quatro pontos percentuais na sua participação relativa na renda nacional. Em valores reais acumulados no ano de 2004, a renda de trabalho perdeu R$ 1, 52 trilhão, ao passo que os donos dos títulos da dívida pública apropriaram-se do total de R$ 841 bilhões na forma de recebimento de juros. {...} a dívida social brasileira alcançou, em 2004, a somatória de R$ 7, 2 trilhões (habitação, infraestrutura, saúde, educação, cultura, reforma agrária, previdência, e emprego)”. Não fizemos de fato uma Reforma Urbana e, muito menos, a Reforma Agrária. Há democracia, mas os assalariados urbanos não escolhem morar em situação de alto risco. A classe obreira precisa de algum lugar para assentar a vida, mesmo que seja nos lixões. É óbvio que nas tragédias a caridade ajuda, mas pagamos altos impostos e o Estado deve cumprir com seu dever, solidariedade social sistêmica. Investir nas Olimpíadas anima as pessoas, o turismo etc., mas não atende as prioridades sociais, não resolve a dívida social que se acumula desde a libertação dos escravos e a proclamação da Republica. Vale à pena reler Afonso H. Lima Barreto, negro que lia Kant, Descartes sem perder a visão crítica da sociedade injusta que se estruturava no Brasil da “Ordem e Progresso”. Portanto, a grande culpa das repetidas tragédias brasileiras não está no “nervosismo do homem de lá de cima que faz chover e a solução não está na oração” como quer o presidente da República. Lembremos que o PAC ameaça povos indígenas, quilombolas, caboclos. Uma vez excluídos para onde irão? Em que favelas viverão? Ora pinóia! Não há mistérios.

Felipe Luiz Gomes e Silva

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Convite Brado


Segue abaixo um convite especial para que todas participem desta 2ª edição do
"Seminário de Estudos Críticos sobre Educação".
É fundamental a presença de todos nos debates que irão se realizar neste dias do seminário.
Não deixe de participar!
Dúvida entre em contato ou acesse o Blog Oficial do evento:

www.bradoinformativo.blogspot.com

Abrs, saudações a todos e até a vitória!

Att. Marcos R.

"II Seminário de Estudos Críticos sobre Educação"
"A Situação dos Professores na Sociedade Capitalista: desafios, obrigações, limites e perspectivas".

De 18 a 22 de maio de 2010
No Auditório C
Do IBILCE/UNESP de São José do Rio Preto - SP



PROGRAMAÇÃO

Dia 18 de maio
Das 19h30 às 20h15
Apresentação do grupo de Teatro Brado
Espetáculo: "Aos que virão depois de nós: é chegada a hora de tomar partido"
Baseado em poemas de B. Brecht e na peça Jesus Homem de Plínio Marcos
Das 20h15 às 21h
Abertura
Marcos Rodrigues/Brado Informativo
Representante IBILCE
Das 21h às 23h
Conferência "A Privatização do Ensino e a Proletização do Professor"
Prof Gilberto de Souza, membro do Instituto Latino-americano de Estudos Sócio-econômicos, prof. da rede estadual de Bauru

Dia 19 de maio
Das 14h às 17h Mini Curso
"Classes Sociais e Movimentos: um debate sobre os novos movimentos sociais e a ideologia do fim das classes antagônicas na sociedade capitalista"
Prof. Ms. Jean Menezes, Unilago/Rio Preto

Das 19h30 às 23h
Mesa Redonda: "Educação, Alienação e Desvalorização dos Professores"
Prof Dr José Luiz Vieira de Almeida, Unesp/Rio Preto
Prof Dr Vamir Pereira, FJB/José Bonifácio
Prof Dr Antonio Rodrigues Belon, UFMS/MS, militante sindical ANDES


Dia 20 de maio
Das 14h às 17h - Mini Curso: "O Processo da Mediação Dialética na Educação Escolar"
Profª Drª Maria Eliza Brefere Arnoni, Unesp/Rio Preto
Das 19h30 às 23h
Mesa Redonda: Formação de Professores
Prof Dr Edilson Moreira de Oliveira, Unesp/Rio Preto
Profª Drª Sueli Guadalupe de Lima Mendonça, Unesp/Marília

Dia 21 de maio
Das 14h às 17h - Mini curso: "A Produção Artística no Capitalismo e a Emancipação Humana"
Fabio Nunes, Filosofia, Unesp/Marília

Das 19:30 às 23h - Palestra I: "A Universalização do Ensino Superior em Cuba"
Profª Drª Maria do Carmo Luiz Caldas Leite, Unisantos/Santos, Presidente da Associação dos Educadores Latino-americanos
Palestra II: (tema a definir)
Luis Carlos Prates (Mancha), Secretário Nacional Conlutas

PSOL ACLAMA PLÍNIO


PSOL aclama Plínio Arruda Sampaio para disputar a Presidência da República
O promotor público aposentado Plínio Arruda Sampaio, 79, foi eleito no final da tarde deste sábado como o pré-candidato do PSOL à Presidência da República nas eleições deste ano. Sampaio recebeu todos os votos dos 89 delegados presentes à 3a Conferência Eleitoral Nacional. A decisão unânime confirma as expectativas criadas após a declaração de apoio da maioria dos parlamentares do partido à pré-candidatura de Plínio e as manifestações prévias de voto de pelo menos 78 dos 162 delegados eleitos nas conferências estaduais.

O ex-deputado federal Babá, que também concorria à indicação, decidiu, no último momento, retirar sua candidatura e chamou seus apoiadores a votarem em Plínio. Martiniano Cavalcante e os delegados que votariam nele como representante do PSOL não compareceram ao evento e sua candidatura, portanto, foi considerada retirada.

Para Plínio, o debate socialista enfrenta um dos momentos mais difíceis de sua história no Brasil, diante da sacralização da figura de Lula no conjunto da população. “O desafio é criar o consenso entre os excluídos e consciência política para enfrentar o capitalismo”, disse.

Entre os pontos que o PSOL deve defender na campanha, que pretende fazer o contraponto à falsa polarização entre PT e PSDB, estão: o fim do pagamento dos juros e a auditoria da dívida pública; a implementação de um verdadeiro programa de reforma agrária, incorporando o estabelecimento de um limite de 1000 hectares para as propriedades rurais; uma política de reforma urbana que tenha como base a desapropriação dos imóveis desocupados para especulação imobiliária no país; o combate à privatização das florestas, à transposição do Rio São Francisco, à construção da usina de Belo Monte e aos transgênicos; entre outros.

“Esta é uma hora histórica. Somos contra o sistema, queremos transformar a realidade. Este é o nosso desafio nesta campanha: falar a verdade e plantar a semente do socialismo em nossa sociedade”, declarou Plínio.

Em relação às alianças para o processo eleitoral, Plínio defendeu a retomada da frente de esquerda, com PCB e PSTU, repetindo a coligação realizada em 2006.


50 anos de vida pública
Com mais de 50 anos de vida pública, Plínio Arruda Sampaio é bacharel em Direito pela USP e mestre em desenvolvimento econômico internacional pela Universidade de Cornell (EUA). Foi deputado federal por três vezes, tendo relatado o projeto de reforma agrária do governo João Goulart. Com o golpe, engrossou a primeira lista de cassados e foi para o exílio. À época, o cargo de promotor público que exercia desde 1954 também foi cassado – só sendo reconhecido novamente em 1984, quando foi anistiado e aposentado. Foi diretor de programas de desenvolvimento da FAO, órgão da ONU para agricultura e alimentação, trabalhando em todos os países da América Latina e Caribe. Um dos fundadores do PT, deputado federal constituinte e candidato a governador em 1990 e em 2006, já pelo PSOL. Atualmente é presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA).

terça-feira, 6 de abril de 2010

Pingos de Fogo


Estou muito satisfeito com o curso de Administração Pública que estou fazendo pela Universidade Federal de Ouro Preto. Temos estudado muito filosofia e ética, economia e a própria teoria geral da administração. Que curso interessante. Recomendo. Os vestibulares para este ano já estão abertos novamente.

A Veja não perde a mania de trazer suas espetadas ao governo Lula e sua candidata Dilma. Quando falam de Serra, são todo elogios. Esta semana quem está nas páginas amarelas (de entrevista) é o mineiro Aécio Neves. Fico pensando como seria uma destas, nesta altura do campeonato, com alguém ligado à campanha da Dilma.

Meu amigo Nelson, que é responsável pelo Capítula São José do Rio Preto da Ordem DeMolay está me convidando para participar com ele dos preparativos para a festa de 25 anos do Capítulo na cidade. Será um prazer e uma honra voltar a rever velhos amigos e sobretudo chamar a atenção das pessoas para esta importante instituição juvenil patrocinada pela Maçonaria.

Os seguros de vida estão em alta. Neste ano, apenas em início de abril, já fechamos mais seguros de vida que em todo o ano passado. Alguns podem até pensar: "Pôxa... venderam tão pouco assim no ano passado?" Mas a verdade é que as pessoas estão sim preocupadas em partir mais cedo e deixar seus entes queridos sem nenhuma proteção. E as modalidades são várias, desde o empresarial até o individual.

Aliás, falando em seguros, descobri em uma palestra que o Brasil é o país que tem os dentistas mais respeitados do mundo. Em que pese haver melhores tecnologias por aí, o capricho e carinho de nossos profissionais é iniqualável. Que legal.

Com muito carinho, deixo nesta página minha sincera homenagem ao grande líder e ser humano que o foi Chico Xavier. Com certeza uma figura que fará falta definitiva neste mundo. Esteja onde e como estiver, receba nosso carinho e respeito.

Eu fico doido de ver... Condomínios, times de futebol de terceira e quarta divisão, Associações de Bairro... ninguém quer tomar conta até estarem com dinheiro em caixa ou chamarem a atenção por algum motivo em especial. Daí costumam dar golpes para afastar seus dirigentes e tentar pegar à força a direção. Lembra muito certos setores da política estudantil. Triste isto, afinal é a gene da nossa política.

Tendo acabado o Big Brother e diante do desvairado lucro com as ligações telefônicas realizadas pelos expectadores "interativos", será que as empresas de telefonia vão nos dar um fôlego nas cobranças exageradas? Tenho uma linha que, parada, gastou por um escritório cheio. Não dá pra entender.

O friozinho está chegando... Já podemos começar a dormir melhor agasalhados. Dá pena de gente que depende da caridade alheia. Esta é a hora em que as pessoas começam a esvaziar seus armários, sem pensar muito que aquele que vai receber, merece no mínimo uma peça de roupa inteira e em condições de uso. Doar é dar de si e não das sobras.

E a Campanha da Fraternidade não deve ser enterrada com a Páscoa. Dezenas de pessoas que conheço estão engajadas na discussão pela melhor discussão sobre a Economia. Espero que frutifique. Já vi isto acontecer quando nasceu o GEAPOL. Valeu minha militância inteira na Igreja.

A rainha caipira.

A partir de hoje, me dedicarei a publicar, de quando em quando, contos e crônicas escritos por meu pai, Carlos Alberto Gomes, que assina com...