quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Carta Aberta aos Amigos

Quem me conhece de longa data sabe que jamais me omiti em questões que julgo importantes, mesmo que erre ou depois tenha de voltar ao assunto para me redimir de falhas cometidas no julgamento. Não tenho o menor problema em desprezar minha opinião, tão logo verifique meu equívoco.

Neste instante, aqui me apresento para comentar sobre o importante processo que se aproxima, qual seja, o processo eleitoral que deverá escolher nossos novos dirigentes, o máximo da nação, o do estado em que vivemos, além de compor nosso Congresso e nossa Assembléia Legislativa.

Apaixonado pela política e dela um militante contundente, sempre estive ligado a partidos, grupos e projetos. Mudei, repensei, venci e perdi muitas vezes, como perderam e venceram muitas vezes nossa sociedade e o coletivo.

O importante, sempre, foi estar presente e comprometido com campanhas, discursos e o bom e indispensável debate que nasce, independente da vontade das pessoas, durante o período que antecede ao pleito.

Minha visão não é perfeita. Carece de boa formação teórica, mas traz um pouco de minhas experiências.

Gostaria de ver triunfante a implantação do socialismo real, verdadeiro e justo, só possível com a superação completa do capitalismo. Sei que não será pelo mecanismo reformador do voto que isso ocorrerá. Por enquanto, para mim, o caminho mais próximo parece ser a defesa de um projeto mais parecido com este anseio.

Desta feita, ajudei a eleger Lula presidente. Militei em partidos de esquerda, que hoje já estão no centro ou na extrema-esquerda. Efetivamente criei com outras pessoas valiosas, mecanismos de fiscalização, de apoio e de organização popular. Assim nasceram entidades como GEAPOL, Amigos de Rio Preto, Fórum de Associações de Moradores.

Incomodei muito a amigos e parentes, candidatando-me a vereador por 3 vezes. Chegando a compor um governo e mais tarde, largando isso pela recriação de um projeto avançado, a reestruturação na cidade do PCB.

Não é justo que eu não procure agora, neste momento valioso de nossa história, aos amigos, simpatizantes ou discordantes, com a finalidade de afirmar minhas convicções e mesmo buscar promover o debate.

Por isso declaro meus votos e procuro justificá-los.

Minha chapa tem por base o compromisso e fidelidade com o partido que atualmente me aceitou em suas fileiras, o PT. Mas também aproveito para falar de outras figuras que acredito importantes para nossa cidade e região.

Em primeiro lugar, voto em Dilma (13) para presidente da república, porque desejo a manutenção do projeto de Lula e do PT para o Brasil. Sei de ajustes que são necessários, mas continuo acreditando nos avanços obtidos nesta caminhada. Além disso, a figura de Dilma, sua história ligada à luta anti-ditadura e seu trabalho firme e valioso nos cargos que ocupou, a credenciam para esta missão. Oriento para que os amigos procurem ler sua biografia de forma desarmada e livre das provocações da direita hipócrita. Se o governo de Lula não foi perfeito, não se pode desprezar que a miséria fora diminuída, que mais empregos, ainda que numa onda de crescimento natural de países como o Brasil, foram gerados. A educação via ProUni e Escolas Técnicas ou o Minha Casa, Minha Vida, também contaram conquistas. Mesmo no cenário mundial, nosso país ganhou respeito e notoriedade.

Voto em Mercadante (13) para governador porque acredito no projeto petista para São Paulo e porque não aceito a continuidade de um governo que em 16 anos de posse do poder no estado, desmontou o estado e desarranjou políticas. Maltratou servidores públicos, como os ligados à educação, saúde e segurança.

Voto em Marta (133) para senadora, por motivos semelhantes, acreditando no projeto petista e na capacidade e combatividade da figura da ex-ministra e ex-prefeita da capital.

Para a Câmara Federal, meu candidato é o riopretense Manoel Antunes (1236). Ex-prefeito, figura conhecida que dispensa comentários, nada há sobre sua história que ofereça o mínimo de dúvidas quanto a honestidade e seriedade. O prof. Manoel que concorre pelo PDT, partido do saudoso Leonel Brizola, está numa dobrada interessante com meu candidato a Deputado Estadual, João Paulo Rillo (13622) do PT.

Jovem combativo e dinâmico, Rillo quase se tornou prefeito de Rio Preto. Sua vereança foi registrada com a seriedade necessária para o trabalho de um legislador. Na Assembléia, com certeza, fará bastante mais. Acredito em Rillo e Manoel Antunes como legítimos representantes de nossa cidade e não creio que haja necessidade de buscar pessoas de fora para nos representar.

Esta é minha chapa e por estes estou trabalhando. Peço aos amigos que considerem esta hipótese, completa ou em partes, sobretudo caso não tenham ainda efetuado sua escolha.

E não seria honesto, se além destes, não mencionasse também o importante trabalho de um grupo com quem convivi até poucos meses. O vereador Pedro Roberto do PSOL que concorre á Câmara Federal e o advogado Marcelo Henrique que concorre ao Senado. Caso os nomes por mim apresentados não sejam fruto de sua escolha, avalie também o trabalho destes homens, ao lado de quem, coloco ainda o ex-dirigente petista Ricardo Berzoini, candidato a Deputado Federal.

Desta feita, está aqui minha colocação. Evidentemente estou ao dispor para discutir detalhes, tanto dos currículos destas pessoas, quanto de suas principais defesas e trabalhos realizados.

A importante questão que aqui se encerra, permanece como sendo a não omissão.

Lembro sempre que votar branco ou anular o voto, não ajuda a limpar o Congresso, a resolver os problemas da nação. É simplesmente uma falta de compromisso com a pátria e com seus integrantes. Há diversos candidatos em outras esferas e a luta pelo voto, muitas vezes corresponde a uma necessidade de fortalecimento de idéias, que é outra saída para quem não concorda com os ditames da configuração política de momento. Por mais chato que pareça, assista ao horário eleitoral gratuito e procure ouvir com o respeito que o assunto merece.

A culpa da miséria política do Brasil e do mundo, está mais nas mãos dos “analfabetos políticos” que do próprio eleito, que nada mais faz do que ser quem era, quando foi escolhido por seus eleitores.

Recebam todos, um grande e fraterno abraço, pleno de respeito e agradecendo pela atenção.

Carlos Alexandre

A Receita Federal e seu trabalho


Se a Receita Federal faz uma investigação em cima de uma pessoa qualquer, está apenas fazendo seu trabalho, mas se está investigando o enriquecimento de determinados atores do cenário político, está fazendo perseguição ou espionagem?
De quantos partidos há investigados?  Já foi feito este levantamento?
Mais uma vez o grito de desespero toma conta da campanha adversária de Dilma Roussef e mais uma vez setores da imprensa caem matando sem fazer o mínimo de aprofundamento, seja por conveniência ou por realmente acreditar no fato e exercer mal seu papel de "informar".

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Debate na TV Canção Nova

Nesta noite houve debate dos presidenciáveis na TV Cancão Nova... Você viu?
Plínio, por várias vezes deixou Serra em "saia justa".  Mas isto, ao meu ver.  Ele também não maneirou contra Dilma, que não estava presente.
Aliás, falando sobre isso, vale lembrar que os 17 pontos de vantagem abertos por Dilma com relação ao segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto do último fim de semana, não quer dizer vitória fácil.  Aos simpatizantes, eleitores e militantes de sua campanha, não cabe o "já ganhou".  Há muito trabalho a fazer.
Com relação ao Governo de São Paulo, o mesmo ocorre com relação ao candidato do PSDB.  Há muita probabilidade de um segundo turno e Mercadante deverá disputá-lo com apoio de outros candidatos.
Uma campanha eleitoral vai até o último dia.  Não cabe nem salto alto, nem desânimo.

Meu Tio Antônio - Os estudantes

Por Marcelo Gomes
Toledo - PR
Toda a vida que encerrava em seu peito
Liberdade indomável; flor selvagem;
Águas frias são profundas e turvas;
Águas frias de uma triste viagem.

Estrelado era o céu e os pescadores
Testemunham em canoas silentes
Juventude feliz, ébria de amores
Se apagando como estrelas cadentes.

Na tristeza deste vale de lágrimas
Destas almas a queda; faltou sorte.
Todos sonhos da vida se desfazem;
Traz a marca de um abraço da morte.

Do desterro uma mácula estampada
Retirado do sonho a profissão.
Partiu jovem, feliz e coroado.
Desbotado na volta o coração.

No desfecho diz adeus à elegância
Amparado foi pela hábil mão.
De seu corpo à limpeza se entregava
Balouçando ante o frio da ocasião.

Dos degraus na descida a cantoria;
Melodia de itálica canção.
Na subida o som fúnebre se ouvia
Conduzido sobre os ombros do irmão.

Se mistura essa dor a tantas dores
Deste Réquiem coletivo às paixões.
Infortúnio das mães junto a seus filhos
Agarradas nos tampos dos caixões.

Som dos sinos; um tétrico cenário.
E a mãe diz adeus à flor selvagem.
Junto ao peito o seu filho só levava
Ousadia e esperança na bagagem;
A flor fina se afoga em turvo rio.
Nobre chama que forjara o seu brio
Que luzia tão altiva a coragem
Se perdeu para sempre na viagem.

Será verdade?

Conta-se, a boca pequena, que um velho amigo da política deverá sair candidato a vereador novamente em 2012.  Se for verdade, além do fato de eu ficar muito feliz, vale dizer que a cidade ganhará bastante com isso.
Combativo e sério, sua atuação daria muito trabalho a oportunistas que tem feito carreira nas últimas legislaturas.
É ver para crer.

OS 50 ANOS DA TRAGÉDIA NO TURVO

Neste dia 24 de agosto, uma tragédia completa 50 anos. 
Lembramos ainda, com muito respeito, da morte prematura dos 59 estudantes mortos no Rio Turvo, vitimados por um acidente, em que o ônibus dos jovens, que se apresentariam em um concurso de fanfarras em Barretos, caiu nas águas escuras e frias.
Dezenas de famílias foram acometidas pela dor das perdas irreparáveis destes promissores cidadãos, dentre eles meu tio materno, Antonio Antunes Filho, que já militava como reporter em um jornal riopretense.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

O cinema de Reinaldo Volpato

Fiquei bastante  feliz ao saber que Reinaldo Volpato está iniciando a produção de mais um longa: "Estranhas Cotoveladas".
Conheci de perto o seu trabalho, quando participamos juntos de uma ação que ele produziu em 2000.
Seu talento ficou evidente para mim em pequenas coisas que presenciei.
Seu carinho por Rio Preto e pela arte fará de Estranhas Cotoveladas mais um sucesso em sua vida e o filme marcará novamente a cidade que já teve Abrasasas (outro trabalho de Volpato) na sua história.
A visão do Cineasta do que seja "cultura" na administração pública é extremamente "picante", pois provoca e faz pensar.
Formado pela USP, Reinaldo Volpato já dirigiu o longa Abrasasas, vários vídeos e documentários, além de ter sido diretor de programas de TV.

Palestinos Refugiados no Brasil

Existem hoje cerca de 130 palestinos refugiados em nosso país, sem assistência da ONU ou mesmo de nosso governo.  Estão impedidos de procurar asilo em outros paises ou de retornarem para suas casas, mas não têm como alcançar a auto-suficiência.
Os camaradas do site Revolutas (http://www.revolutas.net/) abriram uma conta bancária para que os simpatizantes da causa palestina possam colaborar.

Comunidade Internacional e a mulher iraniana

É de se esperar que a Comunidade Internacional, diante da repercussão do caso da mulher iraniana a ser apedrejada até a morte, também se manifeste de forma idêntica com relação a outros paises que praticam a pena de morte em qualquer de suas formas. 
Há paises que não apedrejam até a morte, mas conservam o condenado em corredores da morte por tempos imensos, sofrendo premeditadamente muito mais que se fosse apedrejado. 

Provocação

Estou apenas repetindo o que já disse: "Quanto mais as forças contrárias se dedicam a inventar e-mails, falsos boatos e outras anedotas, mais Dilma sobe nas pesquisas.  Dentro em breve teremos a notícia de que esta eleição será ganha no primeiro turno.

Importação

Acho incrível que certas pessoas precisem importar candidatos de outras regiões.  Rio Preto e sua região tem tamanho e figuras suficientes para suprir esta necessidade e eleger seus próprios representantes.
Sou declaradamente adepto do voto distrital.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Pesos e Medidas

O QUE TODO MUNDO JÁ SABE

O que todo mundo já sabe é que o Jornal Nacional e as Organizações Globo em geral, atuam de forma parcial em seus veículos de comunicação em épocas de campanha.  Debates e reportagens, as mais diversas, já provaram isso. 
Na última segunda-feira, a candidata Dilma Roussef do PT, foi a convidada para uma entrevista de 12 minutos com os âncoras Willian Bonner e Fátima Bernardes.  Não foi moída porque teve um ótimo senso e jogo de cintura.  Saiu-se muito bem apesar das investidas agressivas dos jornalistas, que empacaram sobretudo na questão de seu "modo de tratar" os colegas ou alegando que ela seria uma pessoa de difícil trato.
Infelizmente, por estar fora, não pude acompanhar a entrevista com a candidata Marina, do PV,  na terça-feira.  Mas hoje, assisti ao candidato José Serra do PSDB e ficou nítida a preferência dos jornalistas, na forma adocicada como as perguntas foram feitas para levantar a bola do mesmo.
Parece coisa de petista reclamão, mas na verdade, conversei com amigos de outros partidos e até com um que vota em Marina e ele percebeu a mesma coisa. 
Moral da história... será que essa gente não cansa de fazer isso?  Quantas vezes já se deram mal? 
Para que não fiquem dúvidas, por exemplo, para Dilma perguntaram sobre a "incoerência do PT que antes atacava certos partidos que hoje compõe seu arco de aliança (citando nomes como Sarney, Collor e outros antigos desafetos).  Para Serra, perguntaram como ele via a aliança de seu partido com o PTB, envolvido no "escândalo do mensalão petista".  Precisa mais?

NÃO É SÓ ISSO

Hoje de manhã, o "grande" comentarista político, sem o qual eu não sei o que o SBT faria, José N. Pinto, falava da grande contradição de Lula ter apoiado Armadinejad e agora assinado as sanções contra o Irã no Conselho de Segurança da ONU.
Eu queria saber o que o dito cujo diria se Lula não tivesse assinado. 

CHURRASCO DE CAMPANHA

Olha, eu vi que as regras eleitorais mudaram muito de um tempo para cá.  Assim sendo, não é de estranhar que tenha explodido o tal "churrasco" de candidatos" em Rio Preto.  Mas espero que este rigor se configure também nas próximas eleições para vereadores.
Me lembro que já vi de tudo, inclusive sorteio de bicicletas, campeonatos de truco e outras coisas patrocinadas por candidatos e não podia fazer nada.

O VICE DO SERRA

Cá entre nós... Hoje no Jornal Nacional o Serra não parou de bradar que seu vice é um homem dedicado ao Ficha Limpa...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O Debate dos Presidenciáveis


Tive a oportunidade de assistir o primeiro debate de presidenciáveis destas eleições.
Na minha opinião, encontramos uma Dilma muito nervosa diante das câmeras.  Sua assessoria precisa trabalhar melhor isso.  Se saiu bem nas respostas, mas um tanto quanto tensa.  Por outro lado, vimos um Serra sempre liso e falando o que seus eleitores querem ouvir.  A surpresa fica por conta do Plínio que manteve um discurso coerente com suas defesas e acabou sendo a voz dos que foram alijados do debate por conta dos "critérios" da TV.
Maria se saiu muito bem.  Reconheceu alguns avanções do atual governo, mostrou a que veio e estava muito tranquila.
Esta foi minha análise.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Debate e Democracia

Texto do Professor Marcelo:

Muitos e-mails me chegaram sobre debates dos presidenciáveis. No entanto, o que é flagrante é o fato de que uma estratégia subreptícia se monta como filtro para que a grande mídia e o poder estabelecido impeçam que candidaturas contra a ordem se manifestem. É o caso do PCB e do PSTU.


Onde está então a tão decantada democracia? Onde está a classe média plantonista que invade nossas caixas de e-mails com alertas para maus-tratos com cachorrinhos ou com a política machista contra a estudante que mostrou a calcinha na UNIBAN??? Onde foram parar os movimentos de estudantes pelo acesso democrático ao ensino ou pela paz no Rio, quando um verdadeiro atentado à democracia (como de praxe faz a grande mídia sempre) se faz passar por normalidade? Será a consciência do senso comum tão obtusa que atinge até os ditos "politizados" com sua forma naturalista de ver o mundo e as coisas?

Enfim, vamos nos contentar com o espetáculo montado de perguntas pré-estabelecidas e cujas respostas já estão decoradas em casa? Vamos nos contentar com o discurso único e meramente retórico ou tecnocrático? Vamos nos contentar com candidaturas de projetos que se mostram como uníssono e pela ordem do capital?

O Partido Comunista Brasileiro entraria em qualquer debate para lançar sua crítica ao capital, mas é sistematicamente cerceado pela grande mídia. Sua campanha não almeja vitória nas eleições, posto reconhecer que a democracia burguesa, com estes e outros mecanismos, determinam vencedores abastados e que reproduzam o status quo. Assim, almeja-se com estas forma alternativa de campanha um salto de consciência pela tentativa de expor, nos escassos momentos eleitorais, uma crítica esclarecedora do proletariado sobre sua atual condição e sua sujeição ao capital. Um tal estado de coisas não poderia jamais ser derrubado sem uma força correlata e que deverá ser travada com mais ou menos atraso, sendo o atraso com prejuízo à própria humanidade e natureza.

Todos estes que aparecerão na grande mídia, com pequenas divergências, manterão intactas as bases destrutivas do capital, pois seus projetos não são anti-capitalistas, mas de gestão do capital com seus altivos lucros.

Portanto, se querem conhecer outros projetos que não sejam apologéticos ao capital, seguem abaixo algumas entrevistas de Ivan Pinheiro.

http://pcb.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=1864:assista-as-sabatinas-de-ivan-pinheiro-no-r7&catid=73:eleicoes-2010

http://www.youtube.com/watch?v=Aa8kZGSL-Mk&feature=related

Saudações revolucionárias.
Marcelo

Contraditórios

I - Estes dias me deparei com uma pergunta muito cruel: "Não é incoerente um empresário se dizer comunista ou de esquerda?" ...