segunda-feira, 20 de maio de 2013

Confessando


Pode haver neste mundo quem tenha cometido mais erros que eu. 

Mas vou dizer uma coisa e deixar aqui registrado.  Sou um campeão no quesito asneiras.

Há uma infinidade de coisas que disse, fiz, pensei, deixei de fazer e do que me arrependo.

Coisas bobinhas, criancices, pequenas mentiras, abobrinhas enfim.  E coisas grandes, terríveis, algumas até que me deixaram em maus lençóis.

Crises de pensamento, escolhas erradas, palavras agressivas.

Por vezes fui inconsequente, detrator, maledicente, falso, mentiroso, agressivo, rude, egoísta, ilógico, perturbado...

Magoei, maltratei, enganei, falseei, fiz rir do outro, fiz chorar, atrapalhei, interrompi, gerei vergonha e mal estar.

Me abri exageradamente, exagerei abertamente.  Confundi, desisti, não resisti...

Ah se tudo eu pudesse mudar.  As vergonhas que já passei por pequenas e grandes atitudes...

Mas não dá.  É assim mesmo.  Vivendo e aprendendo, errando e crescendo.

E não paro.  Por certo, esta manhã, por ter acordado mais cedo, errarei mais que ontem, quando dormi até mais tarde.

Só não lamento tanto porque, apesar de tudo, me gosto.  Gosto de mim assim, como sou hoje.  E hoje só sou quem sou, e não sou como era antes, pois sou o produto no qual me tornei diante de tantos erros e acertos.

Pelos erros passados, a quem quer que seja, peço perdão.  Pelos de hoje, que não sejam cruéis.  E aos de amanhã, agradeço... Sinal que ainda estarei vivo.

As peripécias de Baía - Remanescências de Carlos Alberto Gomes (Gomes de Castro)

As peripécias de Baía.                 "É desnecessário que se diga o porquê do apelido desse rapaz. Muito pouco crédito se de...