domingo, 20 de novembro de 2011

Rabiscos

Lamentável - tudo o que se esperava da organização do show do rei Roberto Carlos em Rio Preto é que não houvesse espaço para cambistas.  Bastou abrir a venda de ingressos e... pronto.  Pela 4a vez não vou conseguir ver o show ao vivo do cantor em minha cidade.

Lamentável também um Secretário Municipal deixar provisoriamente a Secretaria para voltar à Câmara e votar alguns projetos de seu interesse.  Sem precedentes, né? 

Por falar no Legislativo Municipal, o ano que vem tem novidades por aí.  O PDT de Brizola, Cidinha Campos e agora de Manoel Antunes e Feitosa promete trazer novidades para Rio Preto.  Já tenho alguns amigos na legenda e estou feliz com as notícias.  É ver pra crer.  Feitosa, ao lado de Rillo e Pedro Roberto, trarão um pouco mais de ética para a Casa de Leis de nossa querida cidade.

Termino o domingo feliz... Meu Timão, que já conseguiu vaga para a Libertadores, continua na liderança do campeonato... Estamos quase lá.  Bora Corinthians!

O condomínio onde moro tem me surpreendido muito.  As pessoas vêm pra cá e compram chácaras bem formadas.  Daí, para satisfazer seu sonho de morar em grandes mansões, desmatam, arrancam árvores e plantas de todo tipo e constróem suas vivendas.  Depois, edificam verdadeiras muralhas privando-se da vista e privando-nos das características que nos atrairam para cá.  Há muito, macacos e tucanos não dão mais as caras por aqui.  Essa gente devia procurar o Dahma, ou morar em prédios no centro da cidade.  Não consigo entender o que estão fazendo aqui.  E a cidade que tem o sêlo verde não toma providências...

domingo, 6 de novembro de 2011

Conheça minha mãe.

Hoje foi um domingo bem legal.  Após um almoço em família, muito agradável por sinal, nos dirigimos para a casa de meus pais.  Hoje, 6 de novembro é pra nós uma data especial.  Aniversário de minha mãe, Darci.
Parentes e amigos foram saudá-la.  Faltou meu irmão, cunhada e sobrinha que moram meio longe, no sul do Paraná.  Mas sei que estiveram ali também em espírito e coração.
Não é difícil notar, em minha mãe, a alegria pela casa cheia.  Foi sempre assim.  Um hábito que herdou da sua genitora, minha avó querida e de origens italianas.  Nona e mama sempre tiveram, em torno de sua mesa, a família e os amigos reunidos.  Apesar das origens "napolitanas", minha mãe é filha de português e deste sangue que trago por parte de pai e mãe, sairam outras características.  A sinceridade, por exemplo.  Minha mãe sempre teve palavras e posições muito firmes.  Fica difícil convencê-la de algo, se ela realmente já tem uma posição e está convicta.  Defenderá seu ponto de vista sempre. 
A outra destas características genéticas herdadas por ela, especificamente, se refere à importância que dá a familia.  Nada é tão importante quanto o sentimento de família.  Almoços aos domingos, natais, reuniões e diálogo.  Sempre, o seu forte. 
Não posso negar que a influência de meus pais, fizeram-me o que sou, quase que na totalidade.  Aprendi com ambos, o que significa verdadeiramente a integridade.   Ser íntegro, no exemplo que me deram, ficou gravado como algo mais ou menos assim:  "É fazer ou ser, ainda que sozinho e fora das vistas de qualquer pessoa, o que é correto sempre, como se todo mundo estivesse olhando".  Pronto... Fica fácil ser íntegro.
Minha mãe é bem assim e quem a conhece, pode ter certeza que, na frente ou nas costas, ela é exatamente a mesma pessoa. 
Mas se eu tivesse que descreve-la hoje, diante de seus 65 anos, descreveria como alguém sensível o bastante para criar, desenhar, pintar, costurar, bordar e compor coisas muito lindas.  Musicista, estilista e uma excelente artesã, encanta com tudo o que faz e faz tudo com muito carinho.
De dona de escola de música, o Conservatório Musical de Mirassol há anos, ou mesmo como confeccionista com sua Karmel, mostrou sempre o melhor de si e dedicou-se ao extremo, não pra ganhar a vida, mas pra deixar um rastro bonito e concreto pelo caminho.
Este propósito firme e forte e esta sensibilidade me emocionam e me dão a certeza de que nasci no berço certo, em que música, poesia e beleza, caminham junto com serenidade, contemplação, seriedade e fé.  Ah, a fé.  Outro legado de minha mãe.  Aliás, legado também dos avós. 
Não há situação difícil na vida e que eu tenha passado, cujas mensagens inspiradoras de minha mãe não me tenham calado fundo n'alma e feito a diferença.  Sou forte como um "homem de aço", graças a muitas destas palavras que se gravaram em meu íntimo.  Queria que ela soubesse disso.
Em suma... sou agradecido.  A ela por me gerar, trazer ao mundo e ensinar-me a vida e a Deus, por me presentear com, até agora, 43 anos de sua existência ao meu lado.
Um super beijo e parabéns, mãe querida.  Amo você.

As peripécias de Baía - Remanescências de Carlos Alberto Gomes (Gomes de Castro)

As peripécias de Baía.                 "É desnecessário que se diga o porquê do apelido desse rapaz. Muito pouco crédito se de...