sábado, 19 de março de 2016

1a Convenção de Novos Franqueados San Martin Corretora de Seguros

Foto Oficial do Evento - às beiras da piscina - S.J.Rio Preto-SP

Terminou às 14h deste sábado, 19 de março, dia de São José e aniversário da cidade de São José do Rio Preto - SP, a 1ª Convenção Nacional dos Franqueados da San Martin Corretora de Seguros.
A franqueadora tem em seu quadro mais de 220 unidades franqueadas e nesta convenção, todos os  ativos foram convocados à participar.
Pouco mais de 180 unidades franqueadas se fizeram presentes no evento que ocorreu no Hotel Michelangelo em São José do Rio Preto, fechado exclusivamente para os participantes.

Com início na quinta-feira, dia 17, o encontro foi marcado por momentos bastante motivadores e muita discussão de trabalho. Novidades para a rede como aumento de comissão, lançamento da UTI de Franquias, produtos novos e exclusivos e a unidade modalidade shopping, foram apresentadas a todos que reagiram de forma bastante positiva a tudo.
Unidade Shopping - novidade 
Segundo os próprios franqueados participantes, valeu à pena cada minuto de debate e informações.  E é bom lembrar que os momentos sérios foram mesclados com instantes de pura emoção, como o jantar/show, que permitiu o encontro dos franqueados com todos os colaboradores da franqueadora, o sorteio de uma viagem, bastante festejado e o reconhecimento do primeiro membro do Conselho de Franqueados - Águia de Ouro, que no mês da mulher premiou a franqueada mais antiga da rede, Daniele Batista de São Gonçalo - RJ.
Carlos Puia e Daniele Batista - 1a Sócia
Clube Águias de Ouro
A convenção também contou com a visita de Cláudio Thiegui, Diretor de Inteligência de Mercado da ABF - Associação Brasileira de Franchising que trouxe bastante novidades, além de expor o panorama do franchising brasileiro.  Números extremamente otimistas.
Outra visita importante e que acrescentou informações relevantes ao público foi Altevir do Prado, Diretor da Bradesco Seguros, uma das patrocinadoras do evento.  Nas suas colocações, dados motivadores para alavancar, ainda mais, as vendas de seguros.
O encontro foi encerrado com a palestra do Consultor Pedro Furquim, bastante ovacionado pelos presentes.  Parceiro antigo da empresa, o palestrante trabalhou bastante a mudança de comportamento e a saída da "zona de conforto".
Carlos Gomes da Rio Preto Seguros
Franqueados e máster franqueados revelaram sua satisfação no final do evento e acreditam realmente que ele será um "divisor de águas" na rede.
A San Martin tem 12 máster franqueados espalhados por todo o Brasil.

A história da San Martin teve início em 1995 com sua fundação, ainda com o nome de Confidence Corretora de Seguros.  Mas o fato é que o ramo já fazia parte da vida dos sócios há muito tempo.
Em 1978, Carlos Alberto Gomes, pai de Carlos Alexandre, atual Diretor Executivo e um dos sócios da empresa, foi trabalhar na Itaú Seguradora onde se destacou e aprendeu tudo sobre o ramo.
Caroline Prosdoskimys Gouvêa Gomes
De lá pra cá, passou pela Internacional de Seguros, tradicional e completa seguradora já dissolvida e posteriormente se habilitou como Corretor de Seguros.  Abriu sua corretora em São José do Rio Preto, com o nome de Rio Preto Corretora de Seguros.  A produção cresceu rápido, o que o levou a convidar seu filho, que também havia trabalhado para uma seguradora.  O início portanto, de Carlos Alexandre em seguros, foi no ano de 1986.  Na Rio Preto Corretora, aprendeu toda parte técnica dos seguros e conviveu com o pai, um grande vendedor, com quem aprendeu os passos necessários para mais tarde, herdar-lhe os negócios.
Edinilson Lopes - Sócio da Marca
Em 1990, em virtude do crescimento do segundo negócio da família, no ramo de confecções, Carlos Alberto, o pai, mudou-se para São Paulo com a esposa Darci e transferiu 50% de suas cotas na Rio Preto para Carlos Alexandre, o filho mais velho.  Os outros 50% foram negociados com um terceiro que se tornaria sócio.  Em 1991, para assinar e ser o responsável técnico da corretora, Carlos Alexandre concluiu seu curso de habilitação na FUNENSEG de Campinas-SP, tornando-se oficialmente Corretor de Seguros.
No entanto, em 1994 a sociedade se desfez e a Rio Preto Corretora de Seguros foi dissolvida.  Carlos Alexandre passou a cuidar de parte dos clientes que ficaram consigo, enquanto outra parte foi transferida para outro corretor.  Com a carteira baixa, Carlos Alexandre complementava seus ganhos com palestras e treinamentos a noite e nos finais de semana.  O tempo e a dedicação não menor, aumentou gradativamente os clientes.  Com isso, Carlos Alexandre convidou Caroline Gouvêa, que trabalhava com ele, para juntos abrirem uma nova empresa.  Assim nasceu a Confidence Corretora de Seguros, fundada por Carlos Alexandre e Caroline,  hoje sua esposa.
Em 2005, surgiu o projeto para modelar a Corretora de Seguros e transformá-la em uma rede de franquias.
O primeiro passo, o registro da marca, não foi possível e com isso foi necessária a mudança de nome. Assim surgiu a San Martin Corretora de Seguros, cuja grafia ainda era em francês.
Antiga Logo - ainda versão francesa
O processo de formatação transcorria muito bem, mas os impeditivos para se franquear uma corretora de seguros eram enormes e depois de muitas idas e vindas a São Paulo e o confronto com regras incompatíveis com o negócio, o projeto foi arquivado.
Em 2013, constatando que uma outra marca estava atuando no mercado com o modelo de franquias, o projeto foi desengavetado e os principais pontos de discordância foram acertados e se tornou possível franquear a San Martin.  Neste momento, entrava para a sociedade o economista Edinilson Lopes.

Weverton Carvalho e equipe de expansão
A história de Edinilson na San Martin é muito interessante.  Em 1995, no ato de constituição da empresa, ele assinou como testemunha no contrato social da empresa, ao lado de Marcelo, irmão de Carlos Alexandre.  Em 2009, desejando operar com exclusividade no ramo de Vida, Carlos Alexandre e Edinilson trabalharam juntos em São Paulo dividindo um escritório na região dos Jardins.  Neste período a San Martin em sua sede, contou com apoio de uma seguradora parceira cedendo-lhe um importante espaço, num endereço privilegiado da cidade de Rio Preto para a comercialização dos demais ramos.

Imagem de Treinamento Novos Franqueados
na sede da Franqueadora
Mas um problema de saúde fez Carlos voltar para o interior e o escritório da capital foi desativado.
Edinilson sempre confiante no ramo, acabaria por voltar a estar junto, desta vez como sócio, substituindo Caroline no contrato social.

Iniciado em 2014, o processo de franqueamento da marca foi sucesso logo de cara.  Com uma competente equipe de expansão, em um ano a rede atingia a marca de 84 franquias. No último aniversário da rede, de 2 anos, a mesma já ultrapassava os 200 franqueados.

A San Martin oferece uma gama bastante completa de serviços no suporte aos franqueados.  Um Serviço de Atendimento ao Franqueado - SAF, permite que os franqueados liguem ou acessem o serviço, da rua, para tirar dúvidas imediatas e auxiliá-los durante suas visitas.  Os franqueados ainda podem contar com um Chat On Line para atendimentos emergenciais.
A Universidade Corporativa San Martin - UNISAN é o treinamento completo e permanente da rede.
Treinamento Equipe de Operações
Em uma plataforma on line, estão cursos, entrevistas, palestras, material didático, filmes e outros recursos para que os franqueados fiquem especialistas nos produtos que desejam trabalhar.
A franqueadora ainda oferece Marketing e Jurídico interno, um departamento de operações que acompanha apólices, parcelas, emissões, vistorias e sinistros para que os franqueados fiquem tranquilos e um departamento comercial que oferece ajuda técnica e comercial com fornecimento de cálculos e efetivação de propostas.

Com mais de 120 produtos em seu portfólio, a San Martin tem sua marca própria, o Consórcio San Martin, administrado pela Caixa Federal e também oferece financiamentos, seguro saúde, odontológico, previdência, dentre outros.

Sede San Martin em SJ Rio Preto
O novo franqueado é submetido a um treinamento inicial de uma semana dentro da franqueadora e tem como obrigação participar de pelo menos 1 áudio conferência por mês.  O objetivo desta áudio é o alinhamento geral de procedimentos e ações.

A equipe de colaboradores é escolhida a dedo e em sua nova sede, na principal avenida de São José do Rio Preto, a corretora inova a todo momento para ganhar respeito, confiabilidade e segurança.
Dentre suas parceiras estão as mais sólidas e sérias companhias de seguros do Mercado, dentre elas: Bradesco, Porto Seguro, Mapfre, Tokio Marine, Yassuda Marítima, Liberty, Allianz, HDI, Generali, Icatu, Mongeral, MetLife, Itaú, Azul, Sul América, Berkley, Argo, J. Maluceli, Chubb, Ace, Zurich, AIG e outras.

As convenções estão programadas para acontecerem de 2 em 2 anos e todos os franqueados são obrigados a comparecer.


sábado, 12 de março de 2016

10 Perguntas

Cena de Componentes do Império - Star Wars de George Lucas
Um jogo rápido de perguntas e respostas a serem respondidas por você que admira os poderosos e vilões nos filmes.  Mas lembre-se que é preciso muita sinceridade.

1 - A quem interessa um confronto civil no Brasil, insuflado diariamente por parte da imprensa e também por políticos e religiosos da direita?

2 - A quem interessa também que até poderosas empreiteiras que financiaram campanhas da direita e da esquerda, a vida toda, sejam de repente dissolvidas ou enfraquecidas?

3 - É normal que a justiça, que se diz cega, seja tão vaidosa ao ponto de vazar para a mídia sensacionalista aquilo que seriam peças secretas de um processo, antes mesmo de julgamentos ou análises mais profundas?

4 - Mesmo sendo Lula perseguido pela mídia em geral (nacional e boa parte da internacional), pela imensa parcela da justiça brasileira, por setores incrivelmente poderosos do país e sobretudo pela oposição política, você não acha estranho que não tenha sido preso até agora?  Ou seja, bastaria uma comprovação mínima de culpa ou de sua falta de idoneidade para estes algozes promoverem uma carnificina. Não querem isso ou não encontraram esta fagulha de culpa da qual precisam?

5 - O relacionamento familiar e histórico de certos componentes da justiça com certos partidos políticos de oposição declarada não interferem mesmo nas investigações ou peso da busca por indícios criminosos de Lula e outros integrantes de seu partido?

6 -  Você pode explicar por que logo após perderem a eleição, tentarem o impeachment da presidenta e não tendo logrado êxito, os defensores do quanto pior melhor passaram a perseguir contundentemente o ex-presidente Lula (possível candidato do próximo pleito)?  O foco não era o governo?  Por que desviar-se para o que já não governa mais?

7 - Por que nas manifestações públicas "contra o governo" se ignoram escândalos antigos e recentes de partidos opositores, escândalos estes, muitas vezes mais imorais que outros como o caso das "merendas" de São Paulo?

8 - Por que após o fim da política dos coronéis e a mitigação das misérias e da fome naquela região do país, os habitantes do Nordeste passaram a apoiar os governos do PT?

9 - Onde estavam, até pouco tempo, os agora "bravos militantes" das ruas?  Em quem votavam e o que faziam?

10 - Você encontra semelhanças entre os protestos e perseguições correntes no Brasil de agora com o que aconteceu na Venezuela, Bolívia, Argentina e mesmo em certos países do Oriente Médio?  Isso não te faz pensar em nada?

Penso que apenas estas bastam para se iniciar um bom debate.  Você não?
Se já tem todas as respostas, por favor, seja altruísta e partilhe.

domingo, 6 de março de 2016

O cavaleiro da esperança - 7 de março.

No dia 7 de março, lembramos a morte de Luis Carlos Prestes, o Cavaleiro da Esperança.

Prestes nasceu em janeiro de 1898.

Era engenheiro militar, formado no Rio de Janeiro na Escola que hoje recebe o nome de Academia Militar das Agulhas Negras.  Mas muito mais que isso, foi um grande líder político brasileiro.

Aos 26 anos, já capitão, foi o líder da revolta tenentista no Rio Grande do Sul, exigindo reformas políticas e sociais.

Em Foz do Iguaçu, no Paraná, uniu-se aos paulistas e formou um grupo rebelde que recebeu o nome de Coluna Prestes.  Com cerca de 1.500 homens, durante mais de dois anos, percorreram mais de 25 mil quilômetros no país.  A marcha terminou em 1927 com o exílio dos revoltosos na Bolívia.

Do exílio, Prestes mergulhou em leituras nas quais buscou entender o atraso e a miséria que encontrou pelo interior do Brasil.  Foi aí que entendeu que as soluções não viriam unicamente com a substituição de governantes e ocupantes da presidência da República.

Procurado pelo PCB (Partido Comunista Brasileiro), Prestes foi convidado a firmar uma aliança com o proletariado revolucionário e as massas populares, principalmente a camponesa.  Embora não tenha aceitado, foi colocado a par da Revolução Russa e do movimento comunista que formou a União Soviética.

Na Argentina, onde viveu depois, viria a ler Marx e Lênin, entendendo melhor a causa.

Foi convidado para assumir a chefia militar da Revolução de 30, liderada por Getúlio Vargas, mas mais uma vez se negou.

Mudou-se finalmente para a União Soviética em 1931, convidado pelo Partido Comunista Uruguaio onde dedicou-se ao estudo aprofundado do marxismo-leninismo.

Foi eleito para a Comissão Executiva da Internacional Comunista, regressando clandestino ao Brasil com a identidade portuguesa de Antônio Vilar, cuja esposa Maria Bergner (Olga Benário), cuidava de sua segurança pessoal, já que era membro do Partido Comunista Alemão e morava em Moscou.

No Brasil, tornou-se presidente de honra da ANL - Aliança Nacional Libertadora, uma organização liderada pelo PCB e que se caracterizava por ser uma frente ampla com participação de socialistas, comunistas, católicos e democratas.

Ainda na ANL, escreveu um manifesto exigindo o fim do governo de Getúlio Vargas, o que fez Getúlio declarar a ANL ilegal.

Neste momento ocorre a Intentona Comunista (uma tentativa de derrubar o governo, apoiada pelo PCB e por lideranças do Partido Comunista em Moscou).

Perseguido, Prestes e Olga foram presos em março de 1936.  Olga foi entregue a agentes do governo nazistas e deportada para a Alemanha onde nasceu a filha do casal Anita Leocádia.

Uma campanha levada adiante pela mãe de Prestes, trouxe Anita de volta, mas Olga foi morta em uma câmara de gás no campo de concentração nazista de Bernburg, em 1942.

Prestes foi anistiado após o fim do Estado Novo e eleito Senador, mas meses depois o registro do Partido Comunista Brasileiro foi cancelado e Prestes foi obrigado a retornar para a clandestinidade.

Tempos depois Prestes caminhava afinado com as propostas de João Goulart, mas foi cassado pelo governo militar após o golpe de 1964.  Acusado de reorganizar o PCB no Brasil, foi condenado à revelia a 15 anos de prisão.

Em 1971, foi para a Argentina, França e de lá Moscou.  Só voltou para o Brasil após a anistia de 1979, mas não tinha mais liderança sobre o PCB sendo considerado pela maioria como rígido.

Em 1982, após uma tentativa vã de reconstrução do PCB por meio de uma "Carta aos Comunistas", retirou-se do partido sendo seguido por diversos membros.

Mesmo tendo pregado durante muito tempo a ineficácia do voto como instrumento de mudança, agora Prestes acreditava que a "luta pelo socialismo pressupunha o voto" e o encarava como instrumento de mudança.

Sem partido, apoiou a candidatura à presidência de Leonel Brizola nas eleições diretas de 1989.

Em início do ano seguinte, foi internado, falecendo no dia 7 de março no Rio de Janeiro, tornando-se definitiva e legalmente membro do PCB.

Prestes teve uma segunda companheira com quem teve muitos filhos.  Anita Leocádia continua como uma grande militante.


sábado, 5 de março de 2016

Inaceitável

Antes de ser empresário, antes mesmo de ser profissional formado e forjado pelo trabalho que caracterizou minha vida, sou um cidadão. Um ente político. 
Não há como negar o que somos. Esconder, soterrar...
E como cidadão e como ente político que sou, não posso me furtar, como nunca o fiz, de deixar aqui minha opinião, meu protesto pessoal, particular, contra a maneira desnecessária, injusta e repreensível com a qual o ex-presidente Lula, o melhor que esse país já teve, fora tratado no dia de ontem.
A condução coercitiva é instituto para os caso em que alguém se nega a depor, ou sendo convocado, não comparece. Mas as fotos de ontem serviram para os escarnecedores e militantes do "quanto pior melhor" exibirem, por todo o planeta, a humilhação pública de um líder como poucos.
As excessivas investidas contra a figura deste "pré-candidato" à presidência da república no próximo pleito, fazem parte de um terceiro turno eleitoral que não acaba. Fruto evidente e inconteste do incômodo gerado em alguns setores do país pela figura popular do ex-metalúrgico que cresceu e fez o que executivos e letrados que o antecederam foram incapazes.
Amigos, parentes, tantos outros movidos e insuflados pelas informações despejadas diariamente por parte da imprensa, me questionam os motivos de eu ter esta posição.
Se me conhecessem de fato não teriam dúvidas de que sempre e sempre, permanecerei a qualquer custo numa vigília permanente pelo resgate das dívidas sociais que a sociedade mantem com boa parte dos brasileiros. Resgate este que só os governos de Lula e Dilma permitiram ser iniciados.
E não serão "factoides" e denúncias seletivas que influenciarão meu modo de pensar ou minha conduta.
Lamento que a mídia, como um todo, preste este desserviço incomensurável à história do Brasil, favorecendo interesses questionáveis dos mandatários que há 500 anos exploram nossa gente e negociam nosso suor ao bel prazer de sua ganância.

A rainha caipira.

A partir de hoje, me dedicarei a publicar, de quando em quando, contos e crônicas escritos por meu pai, Carlos Alberto Gomes, que assina com...