domingo, 17 de novembro de 2019

Café amargo.

SEM SEGURO

Para se vingar de um desafeto, o presidente extinguiu o DPVAT (seguro obrigatório de veículos), que protegia sobretudo os pobres diante de um acidente ocasionado por veículos.
Além das coberturas básicas do seguro, 45% de sua arrecadação eram destinados ao SUS.
Luciano Bivar, que se tornou recentemente adversário de Bolsonaro após a briga pelo poder no PSL, é presidente de uma seguradora que respondia por cerca de 1% do que esse seguro arrecadava.  Mas para atingi-lo, o "capitão" não poupou sua caneta azul.
Com isso, desferiu um golpe certeiro e extremamente dolorido nos mais carentes, para variar.

POLOS

A polarização que se manifesta, no momento, entre Lula e Bolsonaro,  acabou fazendo com que pessoas recentemente arrependidas de terem dado seu voto ao despreparo, voltassem a se unir em torno do político de extrema direita.
Se Lula não voltar logo a exercer um papel conciliador e atrair para junto de si nomes como Ciro Gomes e outros, terá um confronto muito mais duro e ainda correrá o risco sério de voltar à cadeia.
O momento agora é de ampliação.  Os mais conscientes analistas assim avaliam.

INTERNET

Indiscutível o poder que a internet continua exercendo em favor do "comando mundial".  Primaveras como a árabe, se manifestam por toda a América Latina, ora confundindo as pessoas, ora sequestrando justas reivindicações.
Como resultado, bagunça, quebradeira e mortes sem muito entendimento e resultado prático.
Chile, Bolívia, Venezuela, Equador, Brasil, Argentina...
Por essas bandas os EUA gastam muito pouco nas suas intervenções.

GREG

O programa humorístico de Gregorio Duvivier no canal HBO se supera.  No entanto, o último dessa temporada foi exibido sexta-feira passada, dia 15.  Ele traz à baila lembretes durante boa parte do programa, afim de não deixar ninguém esquecer as recentes coincidências, ligações ou resvalos dos amigos do presidente no caso da vereadora assassinada Marielle Franco. 
Greg fala abertamente no programa que não adianta tentar distrair as pessoas, pois ele (Gregorio) não deixará ninguém esquecer.

SINISTRO

É assustador olharmos para um ministério e notarmos as atitudes de certas figuras.
Após conseguir diminuir a exposição da Ministra Damares com seus inúmeros absurdos, o governo tem o desafio de fazer evaporar as constantes e ridículas atitudes do ministro Weintraub.
Destemperado, beirando a infantilidade, o personagem de alto escalão do governo se mete em "briguinhas" pouco ortodoxas nas redes sociais, totalmente fora da condição de seu cargo.

TERCEIRAS VIAS

Enquanto preocupados com a polarização esquerda/direita ou Bolsonaro/Lula, correm por fora algumas figuras tão complicadas quanto.
Dória, ou Bolsonaro de Cachemir (como diz um amigo), está mirando na possibilidade de chegar ao Planalto.  Nem mesmo tem se preocupado com o crescente boato de que seu partido tem preferências por uma figura mais popular da televisão.

DISTRAÇÃO

Falando em distração, enquanto seguem as patuscadas, mal-feitos e outras aparentes asneiras, o Ministro Guedes continua cumprindo sua tarefa de garantir a entrega de TUDO para a elite financeira.  
Aos poucos e em silêncio, ele segue aprovando suas propostas e transformando o Brasil naquilo que, na verdade, nunca deixou de ser: uma colônia.
Respaldado por Guedes, Moro e outros agentes da desconstrução nacional, o governo segue na toada de mitigar a miséria, não pelas suas causas, mas fazendo desaparecer, aos poucos, os miseráveis.  
Pra isso, vale tudo, de liberar armas que só ricos podem comprar, esterilizar pobres, tirar a culpa da polícia pelos assassinatos realizados "sob forte emoção", ou garantindo que ninguém coma, tenha empregos, saúde descente ou aposentadoria.  É só uma questão de tempo e os pobres terão diminuído muito.

domingo, 3 de novembro de 2019

Um espião ao seu lado todo o tempo, o tempo todo.

Resultado de imagem para Edward Snowden


Iris dos olhos, impressões digitais, leitura do rosto... até o seu jeito de andar.
Todos esses métodos de reconhecimento digital, estão inseridos em uma base de dados.  E esses dados, falam quem é você, onde está, com quem passou a noite, o que fez e o que acessou.
Tudo salvo.  Tudo armazenado.  Em um único lugar. À disposição para ser usado assim que necessário. Absurda gestão de vigilância em massa.
Você não vê.  Nem eu. Não percebemos por que essas informações correm em ondas invisíveis, ligando nossos equipamentos móveis às antenas por toda parte.
Quanto mais oferecemos gratuitamente e voluntariamente esses dados, mais fortalecemos essa violação de nossa liberdade. E como fazemos isso?  Ao nos inscrevermos em aplicativos, redes sociais, bate-papos, compras pela internet ou mesmo ao adquirirmos equipamentos e cadastrarmos neles nossas digitais, rostos etc.
Quem faz a denúncia é de novo Edward Snowden, ex-administrador de sistemas da CIA e ex-contratado da NSA.
Temos em casa, no bolso, no escritório e no carro, um espião poderosíssimo e extremamente eficiente.  E além de não recebermos pela informação que cedemos a ele gratuitamente, pagamos pelo aparelho, pelo plano.
Um aparelho individualizado e não coletivo.  Cada um tem o seu.  E com suas características específicas registradas nele.
Cada vez que teclamos em "concordo" em um daqueles termos, instalamos, baixamos, preenchemos dados, alimentamos uma imensa "máquina" de manipulação universal. 
Plataformas que trabalham nosso gosto, nossas intenções e nos induzem, nos alienam para que consumamos o que querem.  Elas são criadas por imensas corporações tecnológicas que utilizam tudo isso para uso publicitário e comercial, mas retribuem depois a órgãos de administração duvidosa ligados à Deus sabe quem, passando-lhes nossos dados mais íntimos sem nosso "consciente" consentimento.
Teoria da conspiração?  Vai saber.  E se não for?
Nos julgamos donos do nosso próprio nariz, mas na verdade, somos escravos. Verdadeiros fantoches desse poder.
"Café pequeno", pode ser que não despertemos nenhum interesse específico de imediato. Mas em situações futuras, bastará acessarem e "pronto".  Está lá tudo sobre nós. Tudo mesmo.  Desde o número de nossos sapatos, ao sabor preferido de nossas pizzas, cartões de crédito, dados bancários, informações de saúde, ideologia política, religiosa etc. etc. etc.
Diante disso, podemos afirmar com segurança que fazemos e falamos o que pensamos, ou aquilo que querem que façamos ou falemos?
Fantasia de Snowden?
E se for verdade.  
Assista ao vídeo: Edward Snowden revela como o seu celular pode estar sendo espionado. 

sábado, 2 de novembro de 2019

Banneg - Banco de Negócios - Novos Franqueados

Resultado de imagem para Banneg - Banco de Negócios

Acontece, a partir dessa segunda-feira dia 4, mais um Treinamento de Novos Franqueados da Rede Banneg - Banco de Negócios em sua sede nacional na cidade paulista de São José do Rio Preto.
Criado em 2008 na capital de São Paulo, intermediadora de negócios mais inovadora do Mercado, entrou para o "franchising" só em 2017 com o objetivo de complementar sua marca irmã (San Martin Corretora de Seguros) com produtos e soluções financeiras para pessoas físicas e jurídicas.
Com uma vasta e diferenciada gama de produtos, a empresa desponta como uma das grandes novidades.  Já são mais de 170 unidades espalhadas pelo território nacional num crescente avanço que promete trazer muitas novidades para 2020.
E já são inúmeras as oportunidades da franquia.  Dentre elas, destaca-se o financiamento direto para aquisição e instalação de placas fotovoltaicas que promovem a economia do usuário de energia elétrica ao mesmo tempo que contribui para o ecossistema.
Financiamentos com garantia de imóveis, crédito pessoal com ótimas taxas, empréstimos consignados e outros produtos dividem espaço com consórcios, máquinas de cartão de crédito e outros.
Financeiras e bancos renomados emprestam sua solidez à empresa que persegue a melhoria continuada de seu suporte a franqueados afim de proporcionar a satisfação do cliente final.
O treinamento dessa semana objetiva preparar os novos franqueados para iniciarem suas atividades, se organizarem para o início e suas peculiaridades, bem como apresentar-lhes sistemas, modus operandi e outras peculiaridades do negócio.
A sequência é fazer a franquia rodar e claro, prosperar na sua área de atuação.

Café amargo.

SEM SEGURO Para se vingar de um desafeto, o presidente extinguiu o DPVAT (seguro obrigatório de veículos), que protegia sobretudo os pob...